5º Congresso do Sinergia CUT começa nesta quinta (30) em Praia Grande

Vinte anos depois da criação da entidade que é referência de liberdade e autonomia sindical na prática, mote dos debates continua sendo “Resistência e Ousadia”.

Objetivo do encontro é definir estratégias para o enfrentamento do desmonte do Estado e o fortalecimento da organização sindical 

Cerca de 200 delegados e delegadas eleitos em assembleias e encontros regionais realizados em todo estado de São Paulo participam do 5º Congresso do Sinergia CUT que acontece entre quinta (30) e sábado (02), na Colônia de Férias em Praia Grande, no litoral sul. Atualmente, o Sinergia CUT reúne oito sindicatos no projeto: eletricitários de Araraquara, Bauru, Campinas, Litoral, Mococa, Presidente Prudente, São José do Rio Preto e Gasistas de São Paulo.

Além de definir estratégias para o enfrentamento do desmonte do Estado e o fortalecimento da organização sindical, o Congresso tem como mote “Resistência e Ousadia” diante da grave crise política, econômica e institucional que toma conta do Brasil em tempos de golpe e da retirada de direitos pelo governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB).

O encontro marca os vinte anos de fundação do Sinergia CUT, projeto que unificou a luta de eletricitários e gasistas do estado de São Paulo em uma assembleia histórica realizada em 16 de novembro de 1997, com a aprovação de mais de mil trabalhadores energéticos paulistas. Durante esse tempo, o Sinergia CUT ficou conhecido como exemplo de liberdade e autonomia sindical na prática.

“Com a mesma ousadia que caminhamos nos últimos vinte anos, voltamos a nos reunir, dirigentes da ativa e aposentados, junto com a militância de base, em um momento único da história do Brasil, com o governo golpista impondo um período de grandes incertezas e dificuldades para a classe trabalhadora. Precisamos debater e definir as estratégias de fortalecimento e avanço do projeto Sinergia, à luz desse novo cenário de ataques a direitos históricos”, explica a direção da entidade.

Em tempos de golpe, a categoria também enfrenta as tentativas de retomada da privatização das últimas geradoras da Cesp pelo governo de Geraldo Alckmin e de todo o Sistema Eletrobras pelo governo ilegítimo, que ataca e desmonta também o setor elétrico nacional, ameaçando um setor estratégico ao desenvolvimento econômico e social do país. “Nossa categoria já sofreu muito com a privatização de empresas públicas e as sucessivas trocas de controladores. Agora, estamos prestes a assistir a retomada da privataria, com graves ataques ao patrimônio público e à soberania nacional, momento que exige muita luta e resistência, além de reflexão para apontar soluções que garantam dignidade profissional e qualidade de vida para os trabalhadores e trabalhadoras”, alertam os dirigentes.

Programação

A programação do 5º Congresso do Sinergia CUT começa na tarde da quinta-feira (30), com o debate “Reestruturação e Privatização do Setor Energético – Impactos para o Desenvolvimento e a Soberania Nacional”. A mesa, prevista para 14h30, conta com a participação de Rafael Marques, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, e de Ubiratã de Souza Dias, coordenador do MAB (Movimento dos Atingidos por Barragem) e dirigente do Sinergia CUT.

A abertura oficial do Congresso acontece às 19h30, junto com a comemoração dos 20 anos do Sinergia CUT e a entrega do “Prêmio Resistência e Ousadia”, iniciativa para premiar talentos artísticos da base energética.

A primeira atividade da sexta (1º) está prevista para as 8h30, com a inauguração do novo Auditório Sinergia CUT, na Colônia de Férias onde os debates acontecem. Às 9h, delegados e delegadas debatem e aprovam o Regimento Interno do Congresso.

Em seguida, às 9h30, a vice-presidenta da CUT, Carmen Foro, e o dirigente do MST (Movimento dos Sem Terra) participam da mesa que debate “Conjuntura e Desafios da Classe Trabalhadora”.

O tema “Estrutura Sindical e Projeto Organizativo do Sinergia CUT” é pauta da mesa que começa às 11h30, com a participação de Lucineide Varjão Soares (presidenta da CNQ e membro da IndustriAll), Sérgio Nobre (secretário geral da CUT), Francisca Trajano (presidenta da CNTRV e do macrossetor da Indústria da CUT) e Artur Henrique, eletricitário, ex-presidente da CUT  e diretor da Fundação Perseu Abramo.

A tarde de sexta está reservada para Grupos de Trabalho, das 14h30 às 17h30. A partir das 20h, todos e todas estão convidados para o Sarau com Energia.

O 5º Congresso do Sinergia CUT será encerrado no sábado (2), depois da Plenária Final que começa às 9h para debate e aprovação de resoluções, plano de lutas e moções dos energéticos, atualizando as estratégias para resistir aos golpes e ao desmonte do setor, além de defender direitos e conquistas históricas.

Serviço:
5º Congresso do Sinergia CUT
De 30/11 a 2/12/2017
Na Colônia de Férias do Sinergia CUT
Av. Dos Sindicatos, 523 – Vila Mirim, Praia Grande – SP

Mais informações:
Edmar Feliciano, presidente do Sinergia CUT: (19) 99248-5736 e (18) 99671-1061
Carlos Alberto Alves, presidente do Sind. dos Eletricitários de Campinas: (19) 99248-5289
Sidney Batista da Rocha, presidente do SindiGasista de São Paulo: (11) 99618-0226