Novidade/AES Tietê Energia: bolsa de estudo e outras pendências

Matéria publicada em 05 de março de 2018

Retorno das pendências

Historicamente, o Sindicato reivindica da AES Tietê Energia a reparação da injustiça praticada com os trabalhadores que têm cargo de assistentes (PCDs), pois recebem a PLR adicional a partir de 0,8 salário, enquanto os demais trabalhadores a partir 1,2.

No último dia 03, a empresa encaminhou correspondência ao Sindicato informando que, considerando as necessidades dos colaboradores aqui representados pela entidade sindical, a AES Tietê Energia sinaliza que irá discutir este ponto, porém, para o exercício corrente (2018).

Horário Bancário

Devido às insistentes cobranças do Sindicato, a empresa concordou em liberar os trabalhadores que atuam em horário comercial (5X2) lotados em locais distantes dos centros comerciais (bancos) por ½ período em datas de pagamento, de acordo com o planejamento dos serviços e liberação do gestor imediato.

_____________________________________________________________

Matéria publicada às 12h29 de 2 de março de 2018

Dirigentes do Sinergia CUT e representantes da AES Tiete Energia se reuniram neste último mês de fevereiro para tratar sobre alguns assuntos pendentes de solução.

Com relação à Bolsa de Estudos, a empresa informou que atenderá a reivindicação referente aos critérios para habilitação ao programa. Agora, o trabalhador que receber a sua primeira avaliação “precisa melhorar” poderá ser aceito no programa. E se esse mesmo trabalhador estiver no seu segundo “precisa melhorar” consecutivo, porém, por motivos diferentes, também será elegível.

Quanto à questão dos médicos nas usinas, a AES Tietê oficializou que Programa Médico nas Usinas será implantado a partir deste mês, com visitas a cada 15 dias.

Assistentes
O Sindicato vem há tempos reivindicando da empresa a reparação da injustiça praticada com os trabalhadores que têm cargo de assistente (PCDs), já que recebem a PLR adicional a partir de 0,8 salários, enquanto os demais trabalhadores a partir 1,2.

O argumento da empresa para não resolver essa situação sempre foi o impacto que causaria a alteração dessa política em todo o grupo AES Brasil.

No final de 2017, com a separação definitiva da Eletropaulo, o Sindicato voltou a apresentar tal reivindicação e, como resposta, a AES tietê informou que fará o possível para que tal política seja alterada já no pagamento da próxima PLR adicional, que ocorrerá no dia 01 de abril.

PLR 2017
Apesar das cobranças insistentes por parte do Sinergia CUT, a empresa ainda não encaminhou os resultados apurados da PLR 2017. No entanto, afirmou que o número final é o já divulgado, de R$ 10.711,00.

Estamos de olho!