CPFL Energia: Sindicato participa de reuniões do Diálogo Social

Pauta de negociação inclui 19 pendências debatidas em dois encontros com a empresa 

Nos dois últimos meses, o Sinergia Campinas participou de duas reuniões previstas pelo atual Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) assinado com a CPFL neste ano, através de cláusula específica que assegura o Diálogo Social, negociação mensal entre Sindicato e empresa. As reuniões aconteceram nos dias 25 de agosto e 6 de setembro, em Campinas, com uma pauta que incluiu 19 pontos de discussão conjunta com outros sindicatos.

Acompanhe abaixo os assuntos e o andamento das negociações:

1 – Reajuste na Tabela de Coparticipação da Fundação Cesp em 2013, que não foi repassado: problema já discutido em reuniões anteriores, a CPFL informou que os ajustes decorrentes do ACT foram feitos no momento adequado. Os sindicatos afirmaram que o reajuste aplicado ao ACT em junho de 2013 não foi repassado para a tabela da FunCesp. A empresa ficou de apurar se o reajuste foi aplicado posteriormente ou não.

 

2 – Problemas com horário de almoço dos trabalhadores operacionais, que não estão conseguindo parar após a sexta hora: a empresa solicitou especificar as localidades. Os sindicatos informaram que o problema está acontecendo em todas as localidades e reivindicaram que a não parada para refeição após a sexta hora deverá ser paga como hora extra, independentemente da parada posterior. A empresa se comprometeu a fazer um informativo junto aos gestores.

3 – Reembolso de exame toxicológico obrigatório junto com o psicotécnico para quem utiliza carteira C, D ou E: isso já foi discutido no ACT e a empresa irá apresentar um regramento para estabelecer critérios. O Sindicato solicitou especial atenção para o caso.

4 – Situação de trabalhador afastado pelo INSS, esclarecendo quais são os procedimentos adotados pela empresa: será necessário avaliar junto ao CS e Jurídico um procedimento para contemplar os descontos do trabalhador após o afastamento. É necessário entender quais são os descontos que devem ser transferidos ao trabalhador e os que devem permanecer na folha. O Sindicato sugeriu que a empresa avalie efetivar uma transferência bancária do próprio trabalhador para a conta da CPFL, evitando assim a geração de saldo devedor.

5 – Emissão dos PPPs e conteúdo das descrições: será agendada reunião interna para tratar do tema, em especial Teletra e Partime. Foi ainda solicitado ao Sindicato informar se a ação trabalhista reconheceu o vinculo junto á CPFL e também quais os cargos que estão com problema de descrição da função.

6 – Licenças diversas na cláusula 31 do ACT: o Sindicato afirmou várias licenças previstas pela CLT não constam dessa cláusula como, por exemplo, falecimento de avós (Art. 473 da CLT), e que a CPFL precisa informar as lideranças disso e inserir no próximo ACT. A empresa afirmou que o assunto já foi tratado através de comunicação interna.

7 – Retomada das discussões dos processos Inter, Intra e ATS: a CPFL avaliará o status junto ao jurídico interno e dará retorno ao Sindicato.

8 – Carreira e salário dos eletricistas de LV: a empresa informou que irá apresentar proposta de carreira até o fim de setembro de 2017.

9 – Dificuldade de comunicação com o Centro de Operação: a empresa agendará reunião junto ao gestor do CO para avaliar os problemas dentro da área de concessão frente às novas tecnologias. Informou ainda que avaliará, junto à Universidade Corporativa, a forma de aplicação do treinamento de comunicação para novos eletricistas.

10 – Técnicos de projeto e de inspeção trabalhando sozinhos: a CPFL irá avaliar juntamente com as áreas específicas.

11 – Mensalidade Sindical cobrada com nome genérico: o resultado é que o trabalhador não sabe para qual sindicato paga mensalidade. A empresa informou que já detalha no demonstrativo do trabalhador todos os descontos relativos às contribuições. O Sindicato, por sua vez, comprovou através de documentos que não há diferenciação e a empresa se comprometeu a avaliar.

12 – Problemas na majoração da jornada de trabalho: trabalhadores não elegíveis foram majorados, sobretudo na região nordeste. Histórico foi encaminhado para RH por mensagem eletrônica. A empresa disse que já informou ao Sindicato que, para majoração da jornada, são observados os critérios previstos no ACT e ainda as condições técnicas.

13 – Cobrança de danos materiais: a CPFL está cobrando dos trabalhadores os danos materiais em caso de acidentes, mas não explica os critérios. A empresa informou que a norma interna para cobrança está em revisão e que informará ao Sindicato quando estiver concluída.

14 – Carreira de PCDs: é uma reclamação recorrente da maioria que não existe crescimento profissional do PCD na empresa. Sindicato reivindicou o histórico de carreiras e movimentação salarial. Será agendada reunião especifica para tratar do tema juntamente com a Área de Carreira e BP.

15 – Acordo Coletivo com a RGE: faz muitos anos que diversos trabalhadores da sede da CPFL estão lotados na RGE. O Sindicato reivindicou a assinatura de ACT com a RGE. A empresa ficou de avaliar internamente, com posterior retorno ao Sindicato.

16 – Plano de previdência Icatu-CPFL Jaguariúna: existem hoje trabalhadores da Jaguariúna na sede. Tema será tratado em fórum especifico.

17 – Boatos de demissão em massa em outubro e novembro: empresa afirmou desconhecer qualquer informação sobre isso.

18 – Auxiliar de atendimento de agência: essa questão já foi abordada pelo CRE e será avaliada junto às localidades específicas.

19 – Marcação Interjornada: foi realizada reunião entre empresa, Sindicato e CRE para esclarecimentos sobre a marcação de ponto no caso da interjornada. A área jurídica do Sindicato está analisando o tema à luz da legislação trabalhista.