CS 2017: A bola está com você trabalhador da Elektro!

Empresa enrola, mas Sinergia CUT arranca proposta final. Assembleias serão realizadas para deliberação a partir desta segunda (24)

O cenário não está fácil. Trabalhadores devem ficar atentos às mudanças e Sindicatos precisam exibir inteligência e capacidade na mesa para resistir e conquistar avanços no ACT, como Política de Emprego e reajuste real. Os companheiros da Elektro receberam a garantia de que podem vislumbrar tal cenário após o resultado da quarta rodada de negociação realizada no dia 18 na sede corporativa da empresa, em Campinas.

Após três rodadas frustrantes aos trabalhadores, a quarta rodada parecia que teria o mesmo destino, pois foi reforçada com a reapresentação da proposta da terceira rodada que foi a seguinte:

  • Reajuste nos salários, VA/VR/Cesta e demais benefícios: 3,45%;
  • Diminuição de 0,5% da participação dos trabalhadores na Tabela de Participação de VA/VR nas quatro primeiras faixas, e 1,0% nas duas últimas faixas, mantendo a contribuição de R$ 1,00 na primeira faixa.

Ao verificar a confirmação da recusa dos sindicatos, os representantes da empresa não tiveram outra saída senão a de tentar melhorar a proposta:

  • Reajuste de salários e demais benefícios: 3,6%
  • Reajuste VA/VR/Cesta: 3,45%
  • Diminuição de 0,5% da participação dos trabalhadores na Tabela de Participação de VA/VR em todas as faixas, mantendo a contribuição de R$ 1,00 na primeira faixa.

O Sinergia CUT rejeitou a proposta da empresa. Sem motivo ou argumento plausível para enrolar mais os trabalhadores, não restou outra saída senão a de apresentar uma nova proposta  que viabilizasse avanços no índice de reajuste nos salários e demais benefícios, inclusive VA/VR/Cesta Básica, maior redução na Tabela de Participação do VA/VR, além da prorrogação do Acordo Coletivo de Trabalho vigente.

Após debates e discussões, os representantes da Elektro viabilizaram a seguinte Proposta Final:

Reajuste nos salários e demais benefícios de 3,78%

Reajuste no VA/VR/Cesta Básica de 3,45%

Diminuição de 1,5% da participação dos trabalhadores na Tabela de Participação de VA/VR em todas as faixas, sendo que as duas primeiras faixas a contribuição será de R$ 1,00

Prorrogação do Acordo Coletivo de Trabalho vigente até 2021.

A empresa assegurou que irá manter a política de redução na participação dos trabalhadores na Tabela de Participação de VA/VR para os próximos anos.

Na quarta-feira (19), a empresa comunicou  que, caso a proposta seja aprovada na 1ª semana de agosto, será pago com reajuste no adiantamento quinzenal e os retroativos no pagamento de 30 de agosto.

Não custa relembrar que nos dois últimos anos (2015 e 2016) a Elektro travou árdua batalha com o Sindicato quando insistia em não repor nenhum índice de inflação nos salários e demais benefícios, ficando abaixo de qualquer indicador, o que culminou com a rejeição da proposta nas diversas rodadas de negociações e na base pelos trabalhadores.

Em 2017, a capacidade de articulação permitiu uma proposta final que com reposição da inflação pelo ICV-DIEESE com ganho real em todos os indicadores inflacionários, no beneficio de Alimentação também com ganho real comparado aos 2,07% do ICV-DIEESE. Resumo: um ganho real de 1,35% e com a redução de 1,5% na tabela do VA/VR que agregou mais 5% no valor líquido do benefício e um  Acordo Coletivo por quatro anos.

Diante da conjuntura atual, o Sindicato vai encaminhar a proposta para aprovação.

Assembleias acontecem  a partir desta segunda-feira. Participe!

PLR de Venda em debate

Durante as negociações, conforme ACT vigente, o Sinergia CUT cobrou da direção da Elektro uma posição sobre o pagamento da PLR Especial da Venda, especialmente diante do  Fato Relevante informado ao mercado pela própria Elektro Redes S/A no dia 30 de junho. A empresa respondeu que está avaliando e que somente após a conclusão de todo o processo terá uma resposta sobre o pagamento ou não da PLR Especial da Venda.

PLR 2017: é grana no bolso!

Independente das negociações da data base deste ano, as PLRs 2017 e 2018 estão asseguradas .O valor do adiantamento será de R$ 1.500,00 + 27% de uma Remuneração anterior (junho).O pagamento da primeira parcela será até o penúltimo dia útil deste mês de julho/17.

Taxa negocial

Conforme estabelecido no Acordo Coletivo de Trabalho vigente, na cláusula 44ª:

“PARÁGRAFO PRIMEIRO: No tocante à Contribuição Assistencial, fica garantido o direito de oposição do empregado ao desconto, desde que se manifeste nos termos da lei e jurisprudência, até o dia 10 (dez) do mês de desconto”.

Também será deliberada na assembleia a Taxa Negocial no mesmo percentual do reajuste conquistado na data base de 3,78%.

Caso a proposta final seja aprovada pela categoria e o pagamento retroativo seja efetuado no mês de agosto, o prazo para oposição à taxa negocial será de 01 a 10 de agosto. O documento deverá ser apresentado na sede do Sinergia CUT, em Campinas, nos seguintes horários: das 09h às 11h30 e das 14h às 17h. A Sede do Sinergia fica na rua Doutor Quirino, 1511, centro, Campinas.

 

Resistir para conquistar!