CS 2017: Confira o que aconteceu na 1ª e 2ª rodadas de negociação com a Tijoá – UHE Três Irmãos

Trabalhador, participe das assembleias informativas

Na 1ª rodada de negociação, ocorrida em 7 de julho, não houve apresentação de proposta por parte da Tijóa; apenas a leitura das cláusulas que compõem a pauta dos trabalhadores, além de “choradeira” por parte da empresa.

Na ocasião, a Tijóa comprometeu-se a analisar as reivindicações e apresentar uma posição na 2ª rodada, que ficou agendada para 21 de julho.

No dia que antecedeu à rodada (20), a empresa encaminhou ao Sindicato correspondência antecipando a seguinte proposta:

  • Reajuste salarial observando a reposição da inflação pelo período dos últimos 12 meses, considerado o índice IPCA;
  • Reajuste de todas as cláusulas econômicas considerado o referido índice acima, inclusive das cláusulas que tratam dos benefícios sociais;
  • Prazo de 2 anos quanto à vigência das cláusulas, ajustando a aplicação do reajuste das cláusulas econômicas daqui a 12 meses observado o índice IPCA.

Curiosamente, a empresa reconheceu que a proposta apresentada estava “aquém da pauta de reivindicações que foi apresentada ao Sindicato e, isso se justifica, num primeiro momento, pela extensa pauta de reivindicação dos trabalhadores, especialmente levando-se em conta o momento de incertezas regulatórias recém surgidas no setor elétrico.”

Na 2ª rodada, ocorrida em 21 de julho, a Tijoá apresentou apenas:

  • Reajuste de 3,6 % nos salários e benefícios;
  • Vigência do ACT até 2019.

O Sindicato reafirmou que é necessário avançar em pontos importantes para os trabalhadores, tais como:

PLR
Plano de Cargos e Salários com verba para méritos e promoções
Bolsa de estudos
Melhoria no plano odontológico, entre outros pontos.

Os representantes da empresa informaram que isso dependeria de aprovação da diretoria, com a qual teriam reunião em 24 de julho.

Na última quarta-feira (26), a empresa encaminhou e-mail ao Sindicato, com as seguintes considerações:

  1. Plano de Cargos e Salários: A Tijoá se compromete a estudar um sistema de avaliação de desempenho como ferramenta de gestão, com a possibilidade de aplicar aumentos salariais conforme nível de performance do empregado no cargo, por recomendação da chefia imediata, e/ou critérios que vierem a ser estabelecidos;
  2. Auxílio Educação: A Tijoá se compromete a avaliar uma Política de Treinamento e Desenvolvimento para todos os seus funcionários, com o objetivo de incentivar os profissionais a buscarem o autodesenvolvimento, contribuir para formação e desenvolvimento dos profissionais, e possibilitar aos profissionais a oportunidade de crescimento profissional e pessoal. A Tijoá poderá, sujeito à observância dos procedimentos e normas internas, conceder subsídios para o referido fim, na seguinte ordem: (i) para cursos de curta duração, a empresa poderá conceder um subsídio de até 100% do valor do curso; e (ii) para cursos de longa duração, a empresa poderá conceder um subsídio de até 70%.

Quanto aos demais pontos, conforme conversado, infelizmente, diante do cenário de incerteza regulatória em que o setor elétrico se encontra no momento, o Sindicato reitera não ser possível alterar as condições do Acordo Coletivo, além das matérias apontadas acima e anteriormente no e-mail do dia 20 de julho.

Não foi agendada nova rodada. A direção do Sindicato irá realizar uma reunião de coordenação para deliberar os próximos passos.

Trabalhador, participe das assembleias informativas.

 

Resistir para conquistar