CS 2017: CTEEP propõe retirada de benefícios. Proposta rejeitada!

Atualizada às 17h do dia 9 de junho de 2017

 

Nesta segunda-feira (12), trabalhadores deliberam plano de lutas caso a empresa não avance na proposta

 

Considerando que não houve avanço na proposta de ACT nas mesas de negociação já realizadas nesta Campanha Salarial com a CTEEP , o Sindicato realiza na próxima segunda-feira (12) assembleias nos locais de trabalho para deliberar um calendário de plano de luta caso a empresa não avance na proposta (confira abaixo). O Sindicato espera que a CTEEP não se utilize de práticas habituais e intransigentes e, com isso, retroceda em direitos históricos dos trabalhadores.

#Nenhumdireitoamenos!

Confira o calendário do plano de lutas:

  • ½ período de paralisação: 26/06;
  • 1 dia de paralisação: 03/07;
  • Greve por tempo indeterminado: a partir de 17/07.

Trabalhador, participe das assembleias deliberativas!

Resistir para conquistar!

______________________________________________________________

Nova rodada está agendada para dia 22 de junho. Fique ligado!

Aconteceu na manhã desta quinta-feira (08) a segunda rodada de negociação da Campanha Salarial 2017 entre a CTEEP e o Sinergia CUT.

Sem considerar os bons resultados conquistados pela empresa no último período, fruto da dedicação e disposição dos  trabalhadores, a CTEEP apresentou uma proposta reducionista, com a retirada de conquistas históricas que constam no ACT.

Os negociadores da empresa sequer consideraram os bons resultados conquistados  no último período, fruto da dedicação dos trabalhadores, e apresentaram a seguinte proposta:

  • Reajuste de salários e benefícios: (FIPE) 3,08%
  • Altera a forma de distribuição da PLR, introduzindo novos indicadores e metas, atrelando à gestão integral
  • Extinção da cláusula de Função Acessória
  • Redução da complementação previdenciária para 12 meses
  • Política de Emprego: Redução da Indenização
  • Extinção da liberação de dirigentes sindicais

O Sindicato rejeitou a proposta e repudiou a postura da empresa em apresentar na segunda rodada uma pauta própria que desconsidera a pauta entregue pelos trabalhadores.

O dirigentes sindicais reivindicaram na mesa que a empresa apresente uma proposta com reposição de salários e benefícios acima da inflação, bem como a solução de pendências dos acordos coletivos anteriores, como, por exemplo, o “valinho” dos afastados.

A empresa desmarcou a rodada previamente agendada para o dia 13 de junho com a justificativa de que não teria outra proposta para apresentar, mas, manteve a negociação do próximo dia 22.

Fique atento e interado.

RESTISTIR PARA CONQUISTAR!