CS 2017: trabalhadores da ESOL Automação vão deliberar sobre proposta de ACT

Em reunião de negociação da Campanha Salarial 2017 entre o Sinergia CUT e a ESOL Automação (Energisa Soluções Automação), realizada nesta terça-feira (05), em Campinas, a empresa apresentou sua proposta para o Acordo Coletivo dos trabalhadores. A data-base é julho. Confira os itens da proposta:

1. Vigência: 2 anos

2. Piso Salarial: R$ 1.106,72

3. Reajuste dos Salários: 2,56%

4. Vale alimentação: R$ 840,00

5. Adicional de Dupla Função: R$ 124,10

6. PLR: a empresa implantara o programa de PLR a partir de 1° de janeiro de 2017, que terá valor idêntico ao valor deste mesmo beneficio que será praticado aos trabalhadores lotados na sede da empresa em Cataguases/MG, inclusive com a mesma data de pagamento, ou seja, 30 de maio de 2018.

7. Plano de Saúde: a empresa concorda em inserir o Plano de Saúde para os dependentes legais, cujo custeio será integralmente pelo trabalhador.

8. Seguro de Vida: a empresa propõe alterar o limite salarial da clausula Seguro de vida para R$ 2.235,81, a partir da data de assinatura do ACT, ficando mantida a regra já existente.

9. Sistema Alternativo de Controle de Jornada: a empresa propõe a implantação de sistema alternativo de Registro eletrônico de Ponto, como por exemplo a URA – unidade de registro auditivo – em substituição ao relógio de ponto REP, destinado a anotações por maio eletrônico da entrada e saída dos trabalhadores, conforme previsto na legislação.

10. Demais Cláusulas do Acordo Coletivo de trabalho: manutenção das demais cláusulas do ACT 2016/2017 ESOL SP e Sinergia Campinas e Prudente.

12. Demais itens da pauta dos Sindicatos: Manifesta a impossibilidade de atender.

Assembleias
Para o Sinergia CUT, a proposta traz avanços em relação às anteriormente apresentadas, como por exemplo, a retirada da Cláusula de Banco de Horas. Além disso, contempla uma vigência de dois anos, o que trará um maior conforto aos trabalhadores.

Assim sendo, o Sindicato realizará assembleias deliberativas para que os trabalhadores decidam sobre a proposta. Participe!