CS 2018: na segunda rodada, AES Tietê Energia apresenta proposta insuficiente

Pode melhorar! Esse foi o sentimento dos dirigentes do Sinergia CUT que participaram da segunda rodada de negociação com representantes da AES Tietê Energia na manhã desta terça-feira (12).

A empresa apresentou uma proposta sem considerar a reivindicação dos trabalhadores de aumento real nos salários e benefícios e correção diferenciada no VA/VR. Resultado: a proposta foi rejeitada na mesa. Confira os principais itens:

  • Reajuste de salários e todos os benefícios expressos monetariamente: 2,86% (IPCA)
  • Vigência: 2 anos
  • Antecipação da PLR em setembro: R$ 6.200,00
  • Valor base da PLR: 2,86 (IPCA)
  • Abono em VA / VR corrigido pelo IPCA (2,86): Passa dos atuais R$1.300,00 para R$ 1.337,18
  • Bolsa de Estudos: mantém 40 para graduação / 25 para idiomas
  • Homologação com assistência do Sindicato
  • Responsabilidade de inserir o ACT no Mediador
  • Em 30 dias apresenta ao Sindicato uma política de assistência social / medico na usinas
  • Atualiza a cláusula Política de Emprego

Assim que a proposta foi colocada na mesa, o Sindicato observou que, diferente dos anos anteriores, quando a AES Tietê iniciava com índices bem inferiores, a proposta atual representa um avanço. Porém, no entendimento dos representantes do Sinergia CUT, a empresa tem sim condições de melhorar os índices.

Até porque, considerando a nova realidade da AES Tietê Energia, que não está mais na mesma holding da Eletropaulo e que, portanto, é uma empresa mais compacta, os trabalhadores têm a expectativa de que para esse ano de 2018 as negociações do Acordo Coletivo sejam menos truncadas.

Sendo assim, a proposta foi rejeitada na mesa e nova rodada marcada para o dia 18 de junho, às 10h.

Fique ligado! O Sindicato realizará assembleias informativas nos locais de trabalho entre esta quarta (13) e a próxima sexta (15). Participe!

O momento é de luta!