IE Madeira encaminha proposta final para apreciação dos trabalhadores

Assim como já aconteceu nos anos anteriores, o Grupo ISA Capital do Brasil, responsável pela administração da Interligação Madeira realizou no último dia 04 de setembro uma rodada de logo após o encerramento da mesa de negociação da CTEEP e da IE Pinheiros.

Na negociação, a empresa ressaltou a intenção dela em privilegiar a mesa para fechar uma proposta de equilíbrio entre a sua “nova realidade” e as reivindicações dos sindicatos representativos.

Diante disso, após discussões, a empresa encaminhou a seguinte proposta:

–  Vigência do Acordo Coletivo de Trabalho: 2 anos – 2017/19;

– Reajuste de Salários e benefícios: 3,60%

-Auxilio Alimentação: 4,60%

             Bolsa de Estudos: com limite de R$ 103.600 reais, distribuídos em 60% destinados a formação Universitária e 20% destinada à pós-graduação (50% do valor da mensalidade limitado a R$ 620,00) além de 20% (50% do valor da mensalidade limitado a R$ 210,00) para estudos de idiomas (utilização somente para cursos relacionados ao negocio avaliados com a empresa). Ainda sendo que em caso ocorra saldo positivo em um ano, este não será acumulado para o ano subsequente;

             Implantação do Auxilio Odontológico, nos mesmos moldes da Assistência Médica;

             Implantação da PLR (1 folha de Pagamento Total) com os seguintes indicadores:

  1. a) 70% atrelados à meta Financeira (40% Ebtida e 30% PV);
  2. b) 30% atrelados à meta Individual (Avaliação Individual do Empregado);

A empresa firmou o compromisso de apresentar o resultado dos indicadores da PLR Bimestralmente. Discutir também a implantação do Plano Previdenciário.

Para o proximo ano a proposta estabelece o compromisso das partes discutirem a Gratificação de Férias, a metodologia da PLR 2018, assim como o Adiantamento em Setembro, bem como a Verba e a forma de divisão.

Para o Sinergia CUT, a proposta final viabiliza reposição da inflação com aumento real pelo ICV-DIEESE (2,95% +0,63%) e não fica abaixo de nenhum outro indicador equiparando ao IPCA (3,6%) para os salários e demais benefícios.

Na questão do benefício de Alimentação supera a inflação do ICV-DIEESE (2,07% +2,48%). Além disso, a prorrogação do Acordo Coletivo por dois anos neste momento de reformas golpistas é de extrema importância para a categoria. Em relação a PLR 2017, a implantação da PLR 2017 com uma folha de pagamento é primeiro passo para sua melhora nos anos seguintes.