Verdades sobre a reforma da Previdência

O relator da proposta de reforma da Previdência que tramita na Câmara, o deputado Arthur Maia (PPS-BA) apresentou no último dia 7 uma nova versão do projeto. Segundo ele, será essa a versão que deverá ir a voto no plenário da Casa, a partir de 19 de fevereiro.

Nesse novo texto, houve uma única alteração referente ao que havia sido apresentado pelo governo ilegítimo no final do ano passado e envolve a questão da pensão em caso de morte do trabalhador. A pensão será vinculada ao salário mínimo, com possibilidade de acumular aposentadoria e pensão deixada por cônjuge, com o limite de até dois salários mínimos. No caso de cônjuges de policiais mortos em serviço, terão direito a pensão em valor integral. Atualmente, é permitido o acúmulo de pensão com aposentadoria.

Propaganda enganosa

Sempre é bom esclarecer que a previdência não está quebrada, como diz a propaganda enganosa do governo ilegítimo. A Previdência não pode ser analisada isoladamente. Ela integra um sistema denominado Seguridade Social, que engloba a Previdência, Assistência Social e Saúde. Somadas as diversas fontes de financiamento, o resultado é positivo. Em 2015, o superávit foi de R$ 11,2 bilhões.

Reforma Trabalhista & Reforma da Previdência

Bom lembrar das péssimas consequências da nova lei trabalhista, aprovada por esse mesmo governo ilegítimo e que está em vigor desde novembro passado. 

Entre outros pontos, essa Reforma dá garantia de que a negociação entre patrões e trabalhadores fique acima do que diz a lei, como foi solicitado por associações empresariais. Em locais onde não há sindicatos fortes ou onde sejam fracos ou corruptos, negociações tendem a ser desequilibradas a favor dos patrões, aprovando reduções em direitos que coloquem em risco o emprego, o salário, a saúde e a segurança de trabalhadores.

Sem contar que a Reforma Trabalhista traz implicações desastrosas para o sistema público de aposentadorias, já que dificulta a contribuição dos trabalhadores devido às novas modalidades de contrato.

Enfim… se a luta não for feita, eles vão aprovar a reforma da previdência que não só acaba com a aposentadoria, mas também traz inúmeros prejuízos aos trabalhadores.