No Sinergia Campinas, Marinho afirma: “O ano de 2018 retomará o crescimento das forças progressistas”

Em visita realizada na segunda-feira na sede do Sinergia Campinas, o pré-candidato ao governo do estado, Luiz Marinho, considerou que o país vive uma crise de grandes proporções e que novamente as forças progressistas e os movimentos sociais serão chamados a colocar novamente o país na trilha do desenvolvimento. “Estamos vivendo um dos momentos mais complicados dos últimos tempos. Parece com 2003, quando o desemprego estava alto e tínhamos que enfrentar a Alca”, afirmou o ex-prefeito de São Bernardo do Campo e ex-ministro da Previdência e do Trabalho do governo Lula.
Segundo ele, a convocação é provocada pela herança bendita dos anos vividos por Lula e Dilma Roussef no Palácio do Planalto, quando mais de 22 milhões de empregos foram gerados e todo o olhar estava na direção do trabalhador. “Só que depois de 2014, o consórcio Eduardo Cunha-Aécio Neves não deixou que a Dilma se movimentasse”, afirmou.
Marinho reconheceu os solavancos do PT e dos partidos progressistas nas eleições de 2014 e 2016, mas que este ano poderá representar a redenção das forças populares e a retomada de uma pauta popular. “A verdade é que não tem candidato para enfrentar o Lula nas urnas. Estamos no atoleiro. E é preciso alguém como Lula, com clareza nas prioridades e que saiba dialogar com as diferenças”, analisou.
Dentro desta conjuntura, Luiz Marinho considera que a sua pré-candidatura é uma oportunidade para colocar São Paulo na rota do desenvolvimento e encerrar com o domínio do tucanato, desde a primeira eleição de Mário Covas, em 1994. “O ano de 2018 representará o crescimento do partido no Brasil e no estado de São Paulo. Tenho convicção que o ambiente mudou. Tem gente arrependida do que fez”, completou Marinho, que aproveitou o auditório lotado do Sinergia Campinas para expor os seus planos para saúde, educação, transportes e outros temas importantes a população.