Sindicato participa de nova reunião com CESP para discutir pendências da Periculosidade

Para seguir aquilo que foi definido na audiência do dia 07 de julho na Vara do Trabalho de Campinas,  tanto o Sindicato como a  Cesp, realizaram  reuniões nos dias 02, 16 e 30 de agosto, nas dependências da empresa para analisar os documentos dos nomes apresentados pelo Sindicato após a realização do acordo da Periculosidade.
Foram feitas  inclusões de novos nomes e analisados  os casos de trabalhadores que possuem ações individuais , trabalhadores demitidos antes de 1.992 e alguns casos de trabalhadores não encontrados. Diante das pendências, nova reunião foi agendada.

Na reunião realizada em 20/09, foram retomadas as discussões das reuniões dos dias 30 de agosto e do dia  16 de agosto, para os seguintes temas:

1) Os 166 trabalhadores que foram retirados da lista da audiencia do dia 23/11/16, sob a alegação de que os mesmos tinham processos individuais com pedido de adicional de periculosidade sobre a remuneração:

Detalhe: Na realidade trata-se de 166 nomes e não 167, pois havia um nome repetido.

Desses 166 nomes, 26 trabalhadores foram reconhecidos pela CESP. Ou seja:

A CESP fará o deposito (em juízo) no dia 25/09, nos mesmos moldes do acordo principal e que é da seguinte forma:

-Até R$ 40.000,00 o pagamento é a vista;
– Acima de R$ 40.001,00, o montante será pago o equivalente a 8 parcelas também a vista e o restante em 5 parcelas a partir de outubro/17 até fevereiro de 2018.

A liberação da parcela única e das parcelas acumuladas (08) + a parcela de outubro serão liberadas até o final do mês de outubro.

Para os 140 casos de trabalhadores que tem processo com pedido de adicional de periculosidade (igual ao processo do Sindicato), será decidido na audiencia do dia 20/10.

2) Solicitação do Sindicato para  inclusão de nomes:

O Sindicato encaminhou à empresa a solicitação de inclusão de um total de 105 nomes. Até a reunião do dia 16 de agosto, havia consenso entre empresa e Sindicato que 61 desses nomes tinham direito de receber a periculosidade. Os demais ainda estavam para análise.

Na reunião do dia 30 de agosto, este numero passou para 64.

Na reunião do dia 20 de setembro , ficou decidido que 71 desses trabalhadores terão direito, além de 9 aposentados antes de 1992.  Além disso, 25 trabalhadores não terão direito, por diversos motivos.

O pagamento desses 80 (71 + 9)  trabalhadores também será definido na Audiência de 20 de outubro, na 8ª Vara do trabalho de Campinas.