Sinergia CUT finaliza Congresso em Praia Grande e sinaliza futuro de luta, coragem e combatividade

Após dois dias de intensos debates para analisar a conjuntura nacional e o Mundo do Trabalho, os delegados participantes do Congresso do Sinergia CUT estiveram envolvidos neste sábado (2) com a deliberação de mudanças no Estatuto e resoluções para o próximo período de luta.

A diversidade marcou o evento, pois 23,52% do total de delegados eram negros enquanto que 13,23% eram de mulheres.

Uma deliberação importante foi a mudança dos nomes dos oito sindicatos participantes do projeto: Sinergia Araraquara, Sinergia Bauru, Sinergia Campinas, Sinergia Sindergel, Sinergia Mococa, Sinergia Presidente Prudente e Sinergia São José do Rio Preto, além do Sinergia Gasista localizado em São Paulo, sendo todos alinhados ao projeto sindical Sinergia CUT.

Deputado Federal Vicentinho esteve presente e fez uma saudação aos participantes do Congresso

Os delegados aprovaram de forma unânime a construção de uma greve nacional contra as reformas promovidas pelo governo ilegítimo e cujo pontapé inicial será com uma manifestação no dia 05 de dezembro em diversas localidades do Brasil.

O Sinergia CUT também ratificou que participará do Macrossetor da Indústria, espaço organizativo da CUT, que trabalhadores da base Metalúrgica, Química, Alimentação, Contac, Vestuário e Construção Civil.

Também foi aprovado que o Sinergia CUT apoiará nas eleições do próximo ano candidaturas democráticas, populares e que atuam firmemente na defesa dos trabalhadores.

Em relação ao Estatuto, a meta foi viabilizar o envolvimento cada vez maior das oito entidades participantes do projeto do Sinergia CUT. Entretanto, as mudanças foram acompanhadas de intensos debates e troca de ideias em relação não só ao funcionamento da entidade como também sobre a quantidade de dirigentes que estarão envolvidos na tarefa.

Construir o futuro não produz necessariamente negligencia em relação ao passado. Em duas resoluções aprovadas em plenário, os delegados aprovaram a construção um projeto e atos que resgatem e valorizem tanto a memória sobre os primeiros anos do Sinergia CUT como também da Associação dos Empregados da CESP, que teve protagonismo na luta dos trabalhadores.

Antes dos debates, uma surpresa: deputado federal e militante da causa contra o Racismo e a privatização do Governo Temer, Vicentinho deu uma passada para dar uma palavra aos companheiros presentes ao evento.