Sinergia CUT garante PLR justa para trabalhadores da CPFL

24 abril 13:52 2003

Depois de muitas idas e vindas, trapalhadas dos sindicatinhos e rejeição da proposta ‘final’ da empresa em assembléias, o Sinergia CUT conseguiu garantir uma PLR 2002 justa para os trabalhadores da CPFL Paulista, Geração, Brasil e Nova I. Foi preciso resistir para fazer avançar a proposta inicial – aceita sem discussão pelos sindicatinhos – que reduzia o valor da PLR e que poderia resultar num prejuízo de até 50% para o bolso dos trabalhadores.


A proposta negociada com a direção da empresa, e aprovada em assembléias realizadas no início de abril por 99,5% dos trabalhadores, garante o valor de referência da PLR 2002 em R$ 2.997,63. Metade desse valor é condicionada a metas de qualidade, enquanto a outra metade é fixa (R$ 1.498,82). Considerando que a CPFL já pagou duas antecipações de R$ 704,86, todos os trabalhadores têm direito à diferença de R$ 89,10. A última parcela da PLR 2002 foi paga no último dia 17.


As negociações avançaram na definição também dos valores das PLRs 2003 e 2004, garantindo sempre o reajuste do montante do ano anterior pelo IPC da FIPE. Em 2003, o pagamento da PLR continua dividido em 50% fixos e em 50% condicionados a metas. Em 2004, o valor da PLR ficará totalmente condicionado ao cumprimento de metas.

  Categorias: