Congresso das Comissões rejeita emendas. Sindicato intensifica pressão

24 fevereiro 00:50 2005

Por 15 votos a 6, os deputados governistas rejeitaram as emendas de Plenário ao PL 02/2005 que inclui a CTEEP no PED (Programa Estadual de Desestatização) e na prática viabiliza a privatização também da CESP e da EMAE. Esse foi o resultado do Congresso das Comissões (Obras e Serviços Públicos, Constituição e Justiça e Finanças e Orçamento) que aconteceu na tarde desta quinta-feira (24), na Assembléia Legislativa.


Convocada para as 10h da manhã, a primeira tentativa de realizar o Congresso não aconteceu por falta de quorum, com ausência intencional dos deputados de oposição, liderados pelo PT, e pela presença insuficiente dos deputados governistas. Não restou outra saída ao presidente do Congresso, Ricardo Tripoli, a não ser apressadamente reconvocar a reunião para as 14h.


Com o quorum alcançado pela presença da bancada governista, Tripoli bem que tentou apressar a rejeição das 17 emendas, e assim iniciar imediatamente a discussão do projeto em Plenário. Mas os deputados de oposição, contrários ao PL, conseguiram evitar que a pressa atropelasse novamente o debate e o Congresso aconteceu normalmente. Ainda assim, a maioria rejeitou as emendas e agora a previsão é de que o PL entre na pauta de discussão em Plenário na quarta-feira (02) da semana que vem.


Ao final, o presidente do Sindicato dos Eletricitários de Campinas e vice do Sinergia CUT, Wilson Marques, afirmou que espera a compreensão dos deputados para os riscos e a gravidade de mais uma eventual privatização e reforçou que os trabalhadores e a população esperam a rejeição do projeto e a manutenção do patrimônio público.


O plantão do Sinergia CUT continua intenso na Assembléia Legislativa para pressionar os deputados a votar contra a privatização. Continue ligado!

  Categorias: