Grupo Rede: primeira proposta é rejeitada

20 abril 00:34 2005

O Sinergia CUT rejeitou a proposta do Grupo Rede para os trabalhadores da Vale Paranapanema e da Caiuá: 4% de reajuste nos salários e benefícios, com manutenção do vale refeição em R$ 4,50.
A proposta foi apresentada pelo diretor de Recursos Humanos (RH) durante a rodada de abertura de negociação, na quinta-feira (14) da semana passada, em Assis. A justificativa das empresas para propor um índice muito aquém da reivindicação dos trabalhadores é de que o Grupo Rede acumula prejuízo de R$ 200 milhões e teve reajuste de tarifas menor do que outras distribuidoras.


O Sinergia CUT argumentou que não aceitará que os trabalhadores paguem a conta da má gestão da direção do Grupo Rede, até porque os reajustes das tarifas foram de 14,46% para a Vale e de 11,82% para a Caiuá, ambos em fevereiro passado. Mais: a proposta não repõe o que a inflação tirou dos salários no período e muito menos o poder aquisitivo dos trabalhadores.


Depois de quatro horas de discussão, além de rejeitar a proposta, o Sindicato reafirmou que não abre mão dos do reajuste de 8,03% (ICV do Dieese) e do aumento real de salários, sem redução de nenhum benefício.


Nova rodada estava marcada para a quarta-feira (20), às 10h, em São Paulo, após o fechamento desta edição. Antes disso, o Sindicato realiza assembléias informativas nos locais de trabalho para discutir também um plano de mobilização para pressionar o avanço da negociação e garantir a luta por salário, emprego e distribuição de renda.

  Categorias: