CPFLs apresentam proposta final

08 agosto 15:26 2005

Após horas e horas de discussão em rodadas paralelas realizadas na última terça (28) em Campinas, o Sinergia CUT arrancou da mesa o que as empresas definiram como o limite da negociação e apresentaram como um ‘pacote’ que, se aceito, viabilizaria a prorrogação do Acordo Coletivo até 2007. A proposta econômica das duas empresas é de 8,25% nos salários e benefícios econômicos, sendo 7,71% (IPC da Fipe) de reajuste mais 0,5% de aumento real. No mais, as propostas são específicas.


A proposta da Paulista inclui também o pagamento do adicional de periculosidade sobre a remuneração (conforme determina o enunciado 191 do Tribunal Superior do Trabalho), a aplicação e correção da tabela de salários em 7,71% (um reajuste médio de 10,39%, agora em julho e retroativo a junho). Uma Comissão Mista seria formada para discutir a NDV no prazo de até 30 dias após a assinatura do Acordo. A empresa não descontaria as horas em que os trabalhadores participaram das mobilizações.


A proposta da Piratininga prevê também uma indenização de R$ 500 para os trabalhadores que mudaram para a escala 6X8X3, o aumento do quadro mínimo para 1090 trabalhadores, a redução da rotatividade de 2,5% para 1,5% durante a vigência do Acordo, a aplicação e correção da tabela de salários em 7,71% (um reajuste médio de 9,47%, agora em julho e retroativo a junho). A empresa assinaria Carta Compromisso para aperfeiçoamento da cláusula de Política de Emprego em 2006.


Para o Sinergia CUT, a mobilização fez a diferença e forçou as empresas a melhorarem as propostas na mesa de negociação. Apresentadas como ‘final’ e ‘limite’, as propostas serão avaliadas pela categoria em assembléias que o Sindicato realizará na próxima semana. Participe! Afinal, a decisão é dos trabalhadores! E disso a gente também não abre mão!

  Categorias: