Duke Energy: nova proposta é retrocesso

08 agosto 20:30 2005

O Sinergia CUT participou nesta terça (14) da segunda rodada de negociação com a Duke Energy. Apesar dos esforços do Sindicato, os negociadores apresentaram uma proposta que é um retrocesso e, mais uma vez, demonstraram total falta de autonomia negociar. Pela proposta, o reajuste salarial seria de 6,93%, índice do INPC. Na cláusula de Gerenciamento de Pessoal, a empresa quer manter a cláusula atual, que prevê 7% de rotatividade. A vigência da cláusula atualmente é até 2006 e o quadro mínimo de 292 trabalhadores.


Em relação ao pagamento da PLR, a Duke Energy quer incluir um termo aditivo para definir a forma de distribuição, que seria de 50% iguais e 50% proporcionais ao salário. Não custa lembrar que o Sindicato já ganhou em segunda instância uma ação judicial que estipula a distribuição de uma PLR 100% igual para todos na Duke Energy. A vigência do ACT seria de um ano.


O Sinergia CUT rejeitou a proposta, que considera um retrocesso: apesar do pequeno avanço de 6% para 6,93%, a forma de distribuição da PLR proposta anteriormente seria decidida pela maioria dos trabalhadores e a vigência do ACT seria de 3 anos. Nova rodada ainda será agendada.


 

  Categorias: