Elektro: reajuste ainda é pequeno

08 agosto 20:29 2005

Na terceira rodada de negociação com o Sinergia CUT, realizada nesta quarta (15), em Campinas, os representantes da Elektro optaram pela tática da manobra e tentaram impedir a discussão das demais cláusulas econômicas e das outras 32 reivindicações da pauta dos trabalhadores.
Motivo: ‘esconder’ os grandes números da empresa que, em 2004, registrou lucro de R$ 259 milhões e, só no primeiro trimestre deste ano, um crescimento de 609,1% em relação ao mesmo período do ano passado.


Os negociadores também voltaram a afirmar que fatos político-econômicos futuros podem interferir no desempenho da empresa. E ainda tentaram discutir assuntos já foram resolvidos. Quando finalmente resolveram negociar, apresentaram como ‘nova’ proposta um reajuste de 6,93% nos salários e benefícios. Além disso, a empresa concederia mais 20 bolsas de estudo aos trabalhadores.


O Sinergia CUT recusou a proposta na mesa por entender que há condições reais de a empresa melhorar o reajuste e ainda conceder aumento real de salários, o que não acontece desde 1996. Quanto à concessão de bolsas de estudos, o Sindicato considera que o atual número de bolsistas é muito pequeno e precisa ser ampliado para, no mínimo, 250 beneficiados.


Sem avanços, nova rodada foi marcada para o próximo dia 22. Antes, o Sinergia CUT, faz assembléias nesta quinta (16) e sexta (17) para encaminhar o Plano de Luta. Participe!


 

  Categorias: