Elektro tenta impor regras para negociação

08 agosto 22:42 2005

Uma série de regras foi apresentada na manhã de hoje (02) pelos representantes da direção da Elektro durante a abertura formal das negociações da Campanha Salarial 2005, no Hotel Sol Inn em Campinas. Apesar de afirmar que está disposto a buscar solução negociada para as reivindicações dos trabalhadores, o consultor contratado pela empresa para coordenar a negociação, o advogado Dráusio Rangel, conduziu a reunião e tentou impor as regras da empresa, também defendidas pelo diretor de RH.


Algumas geraram polêmica com a bancada dos trabalhadores. Para começar, a empresa quer manter as reuniões no mesmo hotel, local isolado que dificulta a participação da categoria, além de gerar gastos desnecessários. Depois, o consultor afirmou que quando não tiver resposta pronta para qualquer reivindicação do Sindicato, só responderá na próxima reunião. Afirmou também que, ao final de cada rodada, a Elektro vai privilegiar a informação aos trabalhadores, usando todos os canais de comunicação da empresa, inclusive as famosas reuniões de gerentes e líderes nos locais de trabalho. Por fim, o consultor não quer discutir problemas localizados ou individuais, só as questões coletivas.


O Sinergia CUT rebateu que a Elektro parece estar com medo dos trabalhadores, ao terceirizar a negociação e impedir a participação da categoria. Depois de muita discussão, o Sindicato também propôs algumas condições para a negociação: como aconteceu nos anos anteriores, reivindicou o acesso aos números da empresa, detalhes do balanço financeiro (bastante favorável e lucrativo no ano passado), transparência em todas as informações solicitadas, iguais condições de comunicação com os trabalhadores (inclusive com o uso da intranet) e retorno da negociação para a sede da Elektro (possibilitando a participação da categoria).


Nenhuma contraproposta à pauta de reivindicações dos trabalhadores foi apresentada. O negociador afirmou que estudou a pauta entregue pelo Sindicato, analisou o impacto econômico das reivindicações e fez cálculos dos custos que a empresa terá. Mas só apresentará a contraproposta completa na segunda rodada de negociação, que deve acontecer no próximo dia 10, sexta-feira da semana que vem.

  Categorias: