Para Sindicato, proposta da AES Tietê é uma vergonha

08 agosto 20:31 2005

Os negociadores da AES Tietê forçaram a barra durante a rodada de negociação nesta terça-feira (14), em São Paulo, para apresentar uma proposta vergonhosa aos trabalhadores: 5,1% de reajuste nos salários e benefícios econômicos e prorrogação do Acordo Coletivo até 2007. Nada mais que isso.


Para o Sinergia CUT é um índice que não tem lógica, que está muito abaixo de qualquer dos indicadores que medem a inflação e que é resultado de uma argumentação totalmente incoerente e descabida. A empresa alegou que ‘os trabalhadores da empresa já são muito bem remunerados pelo que fazem, têm o salário acima do mercado e portanto não precisam de um reajuste maior do que esse’, afirmaram os representantes da empresa.


Óbvio que a proposta foi imediatamente rejeitada pelo o Sinergia CUT que, mais uma vez, refrescou a memória dos negociadores para o excelente balanço financeiro da geradora: lucro de R$ 291,5 milhões em 2004, crescimento de 53% no lucro do primeiro trimestre de 2005 em relação ao mesmo período do ano passado e incremento de 28,8% no lucro de suprimento de energia.


Gordos números publicados nos balanços que, ironicamente, os negociadores parecem desconhecer… A ótima saúde financeira da Tietê fica ainda melhor pela garantia do tão falado contrato cativo de venda de 100% da energia para a Eletropaulo.


O Sindicato alertou também aos negociadores da empresa que os resultados financeiros da Eletropaulo não podem contaminar as negociações da Tietê, na tentativa de nivelar por baixo. E reforçou que a categoria não abre mão de recuperar o poder aquisivo dos salários, incluindo a reposição integral da inflação e aumento real, além da prorrogação do ACT até 2008. Nova rodada acontece na próxima terça-feira (21), às 10h, na Usina de Barra Bonita.

  Categorias: