OPINIÃO: O único lado da ética

07 outubro 11:27 2005

Numa definição simplista, ética é um conjunto de regras e preceitos de ordem valorativa e moral de um indivíduo, de um grupo social ou de uma sociedade. São princípios e valores. Quando o foco são as empresas e seus códigos, a ética vira um conjunto de regras de comportamento, de conduta e de práticas que deveriam orientar a atuação da empresa e dos profissionais. Deveriam.

Infelizmente, na imensa maioria desses códigos empresariais nada consta para motivar ou orientar rumo ao  enriquecimento da cultura organizacional e da conduta profissional. Mania internacional que virou referência de empresa moderna e globalizada, os códigos de ética acabaram se transformando  em simples manuais para disciplinar e enquadrar só um lado do comportamento humano – o dos trabalhadores.

Mas é de indignar que basta apenas uma folheada no código de ética da Duke Energy para que nos deparemos com expressões como ‘a empresa se reserva o direito de disciplinar o indivíduo’ ou ‘qualquer violação (das regras) pode resultar em ações corretivas, incluindo a rescisão do contrato de trabalho’.  Ou ainda ‘educá-los (os trabalhadores) nos assuntos relacionados à ética e ao seu cumprimento’.

Também é grave o fato de que uma empresa norte-americana, que se apresenta como exemplo de ‘conduta empresarial honesta, justa e aberta há quase um século’, demonstre tanto desrespeito e autoritarismo em tão pouco tempo de Brasil. Pior: rasga aqui seu compromisso de respeito às leis de cada país nas transações internacionais, jogando no lixo sua teoria de ‘obedecer as leis não somente ao pé da letra mas também em seu sentido’.

É por isso que, mais uma vez, o Sindicato insiste em alertar à  direção da Duke Energy de que o Brasil tem Constituição, tem leis trabalhistas e sindicais. Aqui, sindicatos são organizações legais  e legítimas  e   Acordos Coletivos de Trabalho têm força de lei. Não devem ser questionados. Devem ser cumpridos.
Para o bom andamento das relações internacionais. Pura questão de ética e soberania.

  Categorias: