Trabalhadores querem intervir na regulação do gás natural

21 outubro 16:32 2005

Duas propostas para a instituição de uma regulação para o gás natural estão em curso: a primeira já apresentada como projeto de lei (PL nº 226), é de autoria do senador Rodolfo Tourinho e já está tramitando no Congresso Nacional; e a segunda, ainda não apresentada publicamente, parte do Ministério de Minas e Energia e está em fase final de formulação.


Neste momento em que se discute a matriz energética nacional, essas proposições suscitam debates, com as naturais manifestações dos diferentes agentes que compõem a cadeia econômica do gás natural.


Como representante dos trabalhadores desse setor, o Sinergia CUT não poderia se furtar de acompanhar, avaliar e mais que isso, reivindicar espaço para contribuir com propostas e sugestões que enriqueçam e principalmente, considerem o componente humano envolvido nas operações com o gás natural, ou seja, o trabalhador; e também que considerem o gás natural como um bem universal que deve ser acessível a toda a população.  


Neste sentido, a direção do Sinergia CUT vem atuando em duas frentes uma sindical e outra parlamentar. No campo sindical, no 6º Encontro Nacional dos Urbanitários, o Sindicato propôs que seja criada uma Coordenadoria do Gás na Federação Nacional dos Urbanitários para uma atuação mais fortemente organizada que possa intervir nos fóruns de discussão e formulação sobre essa regulação.


No campo parlamentar, as entidades fazem gestões junto aos deputados e senadores. Na Ocupação Pacífica do Congresso, ocorrida nesta quarta-feira (19), os dirigentes Djalma de Oliveira, Roberto Tavares Ledo, Wilson Marques e Roberto Matias visitaram vários gabinetes, ocasião em que reivindicaram a abertura de espaço e o comprometimento dos parlamentares com os interesses dos trabalhadores do setor de energia nessas discussões.

  Categorias: