Trabalhadores da CTEEP aprovam greve

17 dezembro 11:03 2005

Para defender o patrimônio público paulista e garantir emprego, direitos e conquistas, os trabalhadores da CTEEP decidiram que vão à greve contra a tentativa do governo Alckmin de rifar a mais rentável das estatais energéticas em fevereiro do próximo ano.


A decisão foi confirmada nas assembléias realizadas pelo Sindicato em todos os locais de trabalho da empresa de transmissão nesta segunda (12) e terça (13). Por ampla maioria, os trabalhadores da CTEEP aderiram ao Plano de Luta Contra a Privatização  aprovado durante o 3° Congresso do Sinergia CUT no início do mês.


A paralisação é também um protesto contra as mentiras de Alckmin que, depois de afirmar que era estratégico manter a empresa de transmissão sob controle do Estado e que o processo de privatização das energéticas paulistas estava encerrado, quebrou a promessa e encaminhou projeto de lei à Assembléia Legislativa no início do ano.


Oportunismo tucano


Acionou o trator tucano e, em mais uma manobra que contou com o apoio da base governista, conseguiu incluir a CTEEP no programa de privatização, dando o primeiro passo para vender também a CESP e a EMAE. Ainda pior é a própria justificativa do governo tucano para a venda da CTEEP. A desculpa de Alckmin foi a necessidade de sanear a geradora CESP, mergulhada em grave crise financeira e endividada em mais de R$ 13 bilhões, apesar de vários empréstimos contraídos inclusive junto ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).


Para a direção do Sinergia CUT, ‘isso aponta má gestão do dinheiro público, pois ninguém sabe também onde foi parar o dinheiro arrecadado com as privatizações anteriores, e oportunismo eleitoreiro do tucano assumidamente pré-candidato ao Palácio do Planalto’. O Sindicato ressalta também que ‘todas as privatizações já realizadas comprovadamente resultam em queda do nível do emprego e  precarização dos processos de trabalho, além de aumento abusivo de tarifas e queda da qualidade da energia que chega à população’.
  
Em defesa do emprego


Diante de tanto descaso e desmando, os trabalhadores da CTEEP vão intensificar a resistência contra a privatização da CTEEP e a luta pelo emprego com a greve de advertência no próximo dia 19. Cruzam os braços neste dia os companheiros da empresa em Araraquara, Bauru, Itapetininga, Jupiá, Mococa, Presidente Prudente, Santa Bárbara D´Oeste e Votuporanga. 

  Categorias: