Alckmin: tucano ou camaleão?

11 janeiro 16:22 2006

Em entrevista concedida a Agência Estado nesta (terça), o governador de São Paulo e pré-candidato a Presidência da República, Geraldo Alckmin, afirmou que a instalação das parcerias público-privadas se constituem na melhor alternativa de investimento público. ‘O investimento público é insubstituível, mas não é suficiente’, afirmou.
O governador tucano afirmou ainda que as concessões se constituem em caminho viável quando as tarifas cobradas pelo concessionário são suficientes para recuperar o investimento. Como foi presidente do PED no governo Mário Covas, o reporter perguntou o que ele achava da adoção de uma nova política de privatização em caso de vitória nas eleições presidenciais. E a resposta foi surpreendente em todos os aspectos. ‘O caminho hoje não é tanto as privatizações e sim as concessões’, disse. ‘Na privatização você vende um ativo do governo e não vejo razão para isso’, completou.
Duro é constatar que no governo estadual o discurso é diferente da prática. Patrocinou a modificação da lei que criou o PED e tenta vender a CTEEP a preço de banana. Com a desculpa de capitalizar a CESP. Para chegar ao seu objetivo, atropela etapas, promove festival de evasivas na Audiência Pública e deixa de atender aos trabalhadores, que desejam antecipação da Campanha Salarial e o resguardo de direitos conquistados. Agora, em plena campanha presidencial, Alckmin brada contra a privatização. Resumo da ópera: em qual Alckmin devemos acreditar?

  Categorias: