Governo libertou 4.133 pessoas do trabalho escravo em 2005

19 janeiro 18:08 2006

O Grupo Especial de Fiscalização Móvel do Ministério do Trabalho e Emprego bateu recorde em 2005 no número de operações de combate ao trabalho escravo. Foram realizadas 81 operações, com fiscalização em 183 fazendas e a libertação de 4.133 trabalhadores. No total, foram pagos R$ 7,4 milhões em indenizações.


O grupo móvel é formado por sete equipes, compostas por fiscais e procuradores do Trabalho, delegados e agentes da Polícia Federal. Também conta com a ajuda da Procuradoria da República, do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) e do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos). Nos últimos três anos, o grupo realizou 219 operações, 170% a mais que entre os anos de 2000 e 2002.


O assessor da Secretaria de Inspeção do Trabalho, Marcelo Campos, informou que a libertação de trabalhadores ocorreu principalmente nos Estados onde há uma forte expansão da fronteira agrícola sobre a floresta nativa. ‘Nós temos como principais Estados onde ocorreu a libertação de trabalhadores o Pará, Mato Grosso, Tocantins, Bahia e Goiás. São Estados com uma incidência muito forte de trabalhadores escravos’, informou. O Pará teve o maior número de trabalhadores libertos, 1.128 ao todo.

  Categorias: