PRR CESP: aumenta a possibilidade de greve

31 janeiro 17:28 2006

No começo da tarde da sexta-feira (20), a expectativa da direção do Sinergia CUT e dos trabalhadores da CESP era grande com a possibilidade de mediação e ou arbitragem da Procuradoria Regional do Trabalho (PRT) para solucionar o impasse da forma de distribuição da PRR 2005.


Mas ainda não foi dessa vez. Apenas dirigentes e assessoria jurídica do Sinergia CUT compareceram à mesa redonda convocada pelo procurador da 15ª Região, em Campinas. Ausência total de representantes da direção da CESP, do Sindicato dos Engenheiros e do Sindicato dos Eletricitários de São Paulo.


Como o pedido de mediação e ou arbitragem só acontece com a concordância de todas as partes envolvidas na discussão do problema – empresa e entidades de trabalhadores – , a única saída do procurador foi mandar arquivar a solicitação.


Para a direção do Sinergia CUT, a ausência da empresa e das outras entidades é lamentável: ‘É mais uma demonstração inequívoca de que eles não têm nenhum interesse em resolver o impasse de forma negociada. Sem falar que o não comparecimento dos outros sindicatos é no mínimo estranho, já que em abril do ano passado todas as entidades sindicais compareceram à mediação da CTEEP, apesar de não termos conseguido chegar a um acordo’. 


Diante de mais esse impasse e da suspensão da tentativa de mediação, agora o Sinergia CUT acionará o Ministério do Trabalho, com solicitação de mesa redonda na DRT (Delegacia Regional do Trabalho), para garantir a discussão da forma de distribuição da PRR, além do pagamento correto da função acessória e a correção da tabela de viagem, conforme prevê o Acordo Coletivo.


Caso o impasse continue, não restará outra alternativa aos trabalhadores se não a discussão de um Plano de Luta que inclui a possibilidade de greve. Fique ligado!

  Categorias: