Consumo residencial de energia demora 6 anos para retomar nível pré-apagão

16 março 18:45 2006

Brasília – O consumo residencial de energia deverá levar mais seis anos para voltar ao patamar registrado antes do racionamento ocorrido em 2001/2002.


Antes de submeter a população a um racionamento de energia de até 20%, o consumo médio da população no país havia chegado a aproximadamente 180 kWh/mês por residência entre 1999 e 2000.


Hoje esse gasto está próximo de 142 kWh/mês, reflexo de uma redução cultural, já que a população se acostumou a gastar menos energia, e também de uma desaceleração no crescimento da economia durante e logo após o racionamento.


De acordo com as projeções do Plano Decenal de Expansão de Energia Elétrica, divulgado hoje (15) pelo Ministério de Minas e Energia, os gastos das residências atingirão os mesmos índices de 1999/2000 em 2012, considerando o consumo alto, e em 2014, para o consumo ”de referência”, utilizado para o planejamento do governo.


Pelo cenário de alto consumo, os gastos residenciais chegariam a 199 kWh/mês em 2015. No cenário de referência, esse consumo seria de 188 kWh/mês e 172 kWh/mês considerando a previsão de menor crescimento.
Durante o racionamento, os gastos médios das residências com energia chegaram a ficar abaixo de 140 kWh/mês.


Consumo por classe


Entretanto, a classe de consumidores que mais deverá crescer proporcionalmente nos próximos dez anos é a comercial. A previsão do governo é a de que a participação desse tipo de consumidor no total de energia consumida no país passe dos atuais 15%, para aproximadamente 18%. No caso das residências, essa participação deve passar de 24% para 25%.


As indústrias, que hoje respondem por 47% da energia consumida no país, ficarão com 43% do total, o que não quer dizer que elas passarão a consumir menos energia, já que o consumo geral deverá crescer.


Os gastos residenciais deverão crescer 5,8% ao ano até 2010 e 5,5% ao ano entre 2010 e 2015. O crescimento do consumo industrial deve ficar em 4,3% ao ano nos próximos dez anos, enquanto o consumo comercial deve crescer 6,7% ao ano nos cinco primeiros anos e 6,8% nos anos seguintes.


O Plano Decenal do setor elétrico ficará em consulta pública no site do Ministério de Minas e Energia até o próximo dia 14 de abril para sugestões da população.

  Categorias: