Foz de Chapecó passa a ser liderada pela CPFL

05 abril 16:38 2006

BELO HORIZONTE, 5 de abril de 2006 – O presidente da Eletrobrás, Aloísio Vasconcelos, anunciou ontem que a holding formatou o novo consórcio para a construção da hidrelétrica de Foz Chapecó, de 855 MW no Rio Uruguai, divisa entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A obra será conduzida pela sua subsidiária Furnas e pela estatal gaúcha Companhia Estadual de Energia Elétrica (CCEE), com 49% do capital, lideradas pela empresa privada Companhia Paulista de Força Luz (CPFL), que terá 51% do capital.


O objetivo é preservar o controle do empreendimento em mãos privadas, que é a única condição de se ter acesso a financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O consórcio perdeu o controle da iniciativa privada desde que a Cia Vale do Rio Doce se desinteressou pelo empreendimento e vendeu sua participação, que correspondia a 40% do capital para Furnas, subsidiária da Eletrobrás.


Antes desses sucessivos negócios, o consórcio era formado pela Cia Vale do Rio Doce, com 40%; pela Companhia Paulista de Força e Luz, com 40%; e pela CEEE, com os 20% restantes. O investimento previsto é de R$ 2 bilhões, que terá grande parte financiada pelo BNDES.Ainda com o objetivo de sustentar o cronograma de construção de hidrelétricas, já firmado por consórcios privados com o Ministério das Minas e Energia, o presidente da Eletrobrás informou que, até na próxima semana, a holding participará da constituição do novo consórcio que irá construir a usina de Serra do Facão, com 210 megawatts em Goiás. Atualmente, o grupo de acionistas é formado pelas empresas Grupo Votorantim, Alcoa, Camargo Correa e DME, que se desinteressaram pela obra em decorrência dos elevados custos de transmissão de energia, estipulados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). (Durval Guimarães)

  Categorias: