Fator avalia reajustes tarifários para Cemig e CPFL como acima do esperado

10 abril 13:54 2006

SÃO PAULO – Na última quinta-feira (06), a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou um reajuste médio de 6,11% para as tarifas cobradas pela Cemig e de 10,83% para as da CPFL. São mudanças válidas a partir de sábado (08).


Com base na notícia, a Fator Corretora elaborou um relatório avaliando os reajustes como favoráveis; as projeções da instituição apontavam variação de 5% para a Cemig e de 7% para a CPFL. No entanto, destacam os analistas, algumas condições devem ser ponderadas.


Ressalvas Segundo a Fator, o reajuste aplicado à Cemig – que deve levar a um aumento de receitas brutas – deve ser comparado com o custo de aquisição de energia. Essa despesa era de aproximadamente R$ 52 por MWh, e subiu para R$ 67,33 por MWh, com a contratação de energia mais cara nos leilões.


No que diz respeito à CPFL, os analistas alertam para o baixo reajuste aplicado à classe residencial. O aumento de apenas 0,62% para o segmento, que é mais rentável, pode ser uma conseqüência do fim do subsídio cruzado, quando os consumidores residenciais compensavam os industriais.


Visão geral Para a equipe da Fator Corretora, as empresas de distribuição elétrica terão crescimento comprometido por conta da nova rodada de reajustes tarifários. A única exceção fica por conta da Copel, que poderá eliminar os descontos em suas tarifas.

  Categorias: