Greve é total nas usinas da CESP em Jupiá, Porto Primavera e Ilha Solteira

03 maio 16:20 2006

Desde a manhã desta quarta-feira (03), a greve é total nas três grandes usinas da CESP no interior de São Paulo. Cruzaram os braços para protestar contra a intransigência do governo paulista e a forma de distribuição da PRR (Política de Remuneração por Resultados) os trabalhadores das usinas de Jupiá, Porto Primavera e Ilha Solteira, onde a paralisação foi reforçada pela participação do pessoal do Laboratório e do Almoxarifado.


O prazo para que a direção da CESP solucionasse o problema da forma de distribuição da PRR se esgotou na última terça (02), já que o Termo Aditivo assinado em junho do ano passado prevê que o pagamento aconteça cinco dias depois de aprovação em reunião da AGO (Assembléia Geral Ordinária), com posterior anuência do Codec. Como a AGO foi realizada no último dia 25, o prazo previsto venceu ontem sem nenhum pagamento aos trabalhadores.


Vale lembrar que há quase um ano o Sinergia CUT vem tentando chegar a uma saída negociada com a direção da geradora. Sem sucesso: a CESP sequer respondeu às várias correspondências enviadas pelo Sindicato para discutir a forma de distribuição da PRR. O Sindicato buscou até a mediação do MPT (Ministério Público do Trabalho) e nada de solução negociada.


Em assembléias realizadas pelo Sinergia CUT na última quinta-feira (27), os trabalhadores aprovar um plano de luta caso a empresa não chegasse a um acordo para viabilizar o pagamento do benefício. Como a CESP continuou intransigente, não restou à categoria outra saída senão entrar em greve a partir desta quarta. Como sempre, com muito pique de mobilização e unidade para a luta.   

  Categorias: