CS 2006: Elektro reabre negociação com proposta insuficiente

19 junho 14:00 2006

A reabertura de negociação com a Elektro, ocorrida nesta segunda (19), foi em ritmo de seleção brasileira: teve pequeníssimas melhoras que não convenceram. E, com a clara intenção de afastar a categoria do jogo, a empresa marcou a reunião ainda mais longe dos trabalhadores: num hotel fazenda, em Indaiatuba.


Nesta quarta rodada de negociação os representantes da Elektro apresentaram proposta de manter o reajuste pelo IPC/Fipe (1,96%) e elevar o percentual do aumento real de 0,5 para 1% nos salários, benefícios econômicos e valor da PLR. Isso significa um índice final de 2,98% nos salários e benefícios, sendo que a PLR passaria a R$1.811,42 mais 47,46%. A distribuidora insiste em manter o IPC alegando ser o indexador utilizado há anos pelo setor.


A proposta foi rejeitada na mesa pelo Sinergia CUT por ser insuficiente, tendo em vista os excelentes resultados obtidos pela Elektro no último período. Fruto do esforço de todos os trabalhadores, a empresa tem conquistado prêmios de excelência em diversas áreas de suas atividades. Nesta Campanha Salarial, a categoria esperava da direção da Elektro o reconhecimento por todo o esforço e, conseqüentemente, uma proposta mais digna.


Na avaliação do Sinergia CUT, os argumentos da Elektro estão há muito superados, uma vez que outras empresas do setor, neste ano de 2006, já adotaram índices superiores à proposta apresentada. Mais: corrigir o valor da PLR com o mesmo índice dos salários, além de ser incorreto (PLR não é salário!), não representa o ganho de lucratividade ou do resultado do serviço obtido pela empresa no último período, que chegou na casa dos 30%.


Hexa é a nossa luta!
O Sindicato insistiu ainda que seja negociada toda a pauta de reivindicação dos trabalhadores que, além do reajuste e aumento real, solicita prorrogação do ACT, aumento do piso salarial, do vale-alimentação/refeição, da bolsa de estudo e da verba para o PCS, pagamento correto dos reflexos da hora extra sobre 13º salário e férias, extensão do auxílio à renovação da CNH para todos os trabalhadores, antecipação do 13º salário em fevereiro de cada ano, discussão de todas as questões relativas à Fundação CESP (melhoria no credenciamento da AMH, garantia de apresentação para adesão aos planos de aposentadoria complementar de saúde a todos os trabalhadores, principalmente os novos) e melhoria das condições de saúde e segurança, entre outros itens.


O Sinergia CUT realizará durante toda esta semana assembléias de mobilização nos locais de trabalho da Elektro para mudar o ritmo do jogo e pressionar para que haja mais avanços na próxima rodada de negociação, marcada para sexta-feira, dia 23.

  Categorias: