Resistência contra a privatização cresce. Greve começa na segunda

23 junho 19:08 2006

Trabalhadores, lideranças sindicais e políticas participaram na manhã desta sexta-feira (23) do Ato de Mobilização Contra a Privatização da CTEEP realizado pelo Sinergia CUT em frente à sede da empresa, no Edifício Adélia Saliba, em São Paulo.


Convocado para demonstrar a disposição de luta da categoria para barrar a venda da lucrativa empresa de transmissão do povo paulista, às vésperas do leilão previsto para a próxima quarta-feira (28), o Ato de Mobilização contou com a participação de dirigentes da CUT/SP e da FNU/CUT (Federação Nacional dos Urbanitários), além dos deputados estaduais Sebastião Arcanjo, o Tiãozinho (PT), e Nivaldo Santana (PCdoB).


Falando aos trabalhadores, todos destacaram a importância de dar uma demonstração de força e resistência dos trabalhadores para impedir que se repita com a CTEEP o que já aconteceu com as outras empresas privatizadas pelo governo tucano sob o comando de Geraldo Alckmin:  venda do patrimônio público a preço de banana, busca incessante de lucro da iniciativa privada, redução de pessoal, terceirização sem fim, precarização dos processos de trabalho, falta de investimentos e queda da qualidade dos serviços prestados.


Para o deputado Tiãozinho, também dirigente do Sinergia CUT, o atual candidato tucano à Presidência da República pretende sinalizar ao mercado que levará esse projeto de privatização para o Palácio do Planalto, caso seja eleito: ‘Esquece que comandou um governo sofrível para o povo paulista sob todos os aspectos, o que ficou demonstrado inclusive pelos dias de pânico que tomaram conta de São Paulo sob domínio de uma facção criminosa’. 


Dirigentes do Sindicato ressaltaram que a aprovação do projeto de privatização pela Assembléia Legislativa – que completa dez anos na próxima segunda (26) – deu início à privataria tucana que, além de acabar com todo o patrimônio público energético, agora pretende vender a CTEEP também para fazer caixa de campanha.     


Para intensificar a resistência contra a privatização, o Sinergia CUT confia no espírito combativo dos trabalhadores da CTEEP e na disposição de luta contra a venda da transmissora. O Plano de Luta aprovado em assembléias de trabalhadores começa na segunda (26) com a Greve por tempo indeterminado. Paralisação total das atividades e  manutenção dos serviços essenciais sob controle dos trabalhadores, inclusive para garantir a transmissão dos jogos do Brasil na Copa.

  Categorias: