Suspeita na venda da Cteep é investigada pelo MP

12 julho 15:17 2006

Ministério Público apura reunião entre presidente da companhia e colombianos, que posteriormente venceram leilão


Executivo afirma que foi a Bogotá apresentar empresa a potenciais investidores e nega ter participado do edital de privatização


Em janeiro deste ano, cinco meses antes do leilão de privatização da Cteep (Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista), o presidente da estatal, José Sidnei Colombo Martini, reuniu-se na Colômbia com dirigentes da Isa (Interconexión Eléctrica S.A.), na sede da empresa, em Bogotá. Os colombianos arremataram a empresa por R$ 1,193 bilhão.


O Ministério Público do Estado de São Paulo soube da viagem por carta anônima e decidiu investigá-la. O promotor de Justiça Saad Maslun disse ontem à noite à Folha que o secretário estadual de Energia, Mauro Arce, será chamado para prestar depoimento no procedimento investigatório aberto antes da realização do leilão.


Segundo o promotor, o presidente da Cteep, que já prestara depoimento no dia seguinte ao leilão, será convocado novamente. Ele havia afirmado que não tinha tido participação no edital de venda, mas, segundo o promotor, não esclareceu se teve participação em alguma outra etapa da venda.


Na última sexta, o promotor recebeu cópia de um conjunto de documentos sobre a viagem de Martini à Colômbia. Os papéis foram anexados ao processo, que já estava em curso, que investiga supostas irregularidades na privatização.


Segundo o promotor, Mauro Arce e o presidente da Cteep serão chamados para esclarecer as razões da viagem e se houve tratamento privilegiado à empresa colombiana.
A reportagem da Folha também teve acesso aos documentos recebidos pelo Ministério Público. No conjunto de papéis, há um ofício do secretário Mauro Arce, datado de 26 de janeiro, dirigido ao chefe da Casa Civil do Palácio dos Bandeirantes, Arnaldo Madeira, em que propõe que seja autorizado o afastamento de Martini para uma viagem a Colômbia, entre 25 e 27 de janeiro.


No ofício, Arce informa que o executivo viajaria para fazer uma apresentação sobre a companhia a executivos do grupo empresarial Isa ”por orientação e interesse do governo do Estado de São Paulo’.


No mesmo dia 26, o presidente da Cteep viajou para Bogotá, em companhia de um executivo da Rio Bravo Investimentos, Alexandre Rhinow. A Rio Bravo foi um dos consultores contratados pelo governo estadual para fazer a avaliação da Cteep e a modelagem do controle acionário da empresa.


Entre os documentos, estão os comprovantes de embarque na companhia aérea Avianca, o recibo de hospedagem no Hotel Sheraton de Bogotá e ainda o relatório da viagem, assinada por Martini em 2 de fevereiro.


O presidente da Cteep afirma no relatório que foi designado pelo governo do Estado para empreender a viagem à Colômbia e fazer apresentações técnico-institucionais sobre a transmissão paulista. No mesmo dia 26, ele se reuniu com os executivos da Isa e, no dia seguinte, viajou a Medellín, para uma reunião com executivos da EPM – Empresa Pública de Medellín. A EPM tinha se mostrado interessada em participar do leilão em consórcio com a Isa, mas desistiu. (Elvira Lobato)

  Categorias: