Trabalhadores decidem sobre proposta da Elektro

18 julho 19:02 2006

Depois de detalhar a proposta em reuniões nos locais de trabalho, Sinergia CUT já está realizando assembléias deliberativas com os trabalhadores da Elektro desde a manhã desta terça-feira (18). Até agora, a categoria vem aprovando a proposta negociada em seis rodadas, já que o avanço econômico atende às expectativas dos trabalhadores e a prorrogação do Acordo Coletivo até 2008 está garantida, mesmo estando vinculada à negociação futura de duas cláusulas.


A proposta final da Elektro garante mais 4% nos salários e benefícios, sendo 1,96% de reajuste pelo IPC somado a 2% de aumento real, exceção da cesta básica e do VA/VR que teriam aumento de 7%.


A PLR teria um valor fixo de R$ R$ 2.000 mais 47,46% da remuneração, com um plus de 5% em caso de superação de metas, o que resultaria em um valor médio de R$ 3.551. Isso significa um aumento médio de 15% na PLR da Elektro, finalmente equiparando o benefício ao valor médio de outras distribuidoras.  A metade da PLR seria paga como primeira parcela já no próximo dia 28. A negociação de valor e metas técnico-financeiras da PLR 2007 aconteceria em novembro próximo.


A empresa também passaria a pagar a primeira parcela do 13° salário sempre em fevereiro e garantiria o pagamento integral da média das horas extras no 13° e nas férias.


Discussão futura
Ao invés de retirar o fretado do pessoal da sede já, intenção inicial da empresa, a Elektro agora propôs discutir o assunto no prazo de 30 dias após a assinatura do Acordo Coletivo.


Outra negociação com o Sindicato seria a de um novo plano de suplementação de aposentadoria em sessenta dias depois de assinado o novo ACT.


Válido até 2008
Outro avanço da mesa de negociação foi a prorrogação do Acordo Coletivo atual até maio de 2008. A condição seria a discussão de duas cláusulas em 60 dias: a 28, que regra o Gerenciamento de Pessoal, e a 48, que revalida os diversos Termos Aditivos.


Vale lembrar que a intenção da direção da empresa era a de aumentar a rotatividade de pessoal dos atuais 1,68% para 7%, o que significaria 150 demissões.


Depois de muito debate, já na prorrogação da negociação, o Sinergia CUT conseguiu convencer os negociadores da Elektro a prorrogar a validade do ACT por mais dois anos e voltar a negociar as duas cláusulas, que continuariam válidas até maio de 2007.

  Categorias: