Artur revive emoção na presidência da CUT

04 agosto 14:18 2006

Com uma saudação especial às mulheres, tão importantes na construção da história de luta e conquista da classe trabalhadora, o eletricitário e agora presidente da CUT Nacional Artur Henrique da Silva Santos começou um discurso emocionado durante a posse festiva da nova direção da Central para a gestão 2006/2009, realizada na noite de quarta-feira (02) no Buffet Hasbaya, em São Paulo.


Falando para centenas de lideranças sindicais de todo o país, Sinergia CUT inclusive, Artur homenageou todas as mulheres através de sua companheira e sua mãe, a quem agradeceu pelo inestimável apoio que deram e que dão ‘para a superação dos desafios e obstáculos e à própria construção da minha trajetória’. E completou que, ao assumir o comando da maior central sindical da América Latina e quinta do mundo, estava ‘revivendo agora a mesma emoção que senti ao assumir a presidência do Sindicato dos Eletricitários de Campinas’.


Destacou também a importância do trabalho coletivo da nova direção nacional, onde as qualidades de cada dirigente devem agora se somar ‘com muita energia, para fortalecer a mobilização e a pressão pelas mudanças, colocando o povo na rua para reeleger o companheiro Lula e eleger uma expressiva bancada de governadores, senadores e senadoras, deputados e deputadas identificados com a construção de um novo Brasil’.


O presidente da CUT reafirmou ainda a importância do engajamento do conjunto da nova direção para o êxito da Campanha Salarial Unificada, que será realizada neste segundo semestre, tendo como foco a ampliação de direitos e a consolidação da CUT como instrumento de combate da classe por uma sociedade mais justa e igualitária.


Ato político
Antes, os integrantes da nova direção, formada por 32 dirigentes e seis membros do conselho fiscal, foram chamados ao palco, um a um, enquanto um telão apresentava um breve histórico de sua trajetória. O presidente Lula encaminhou uma saudação com votos de vitória à nova direção da CUT, central que ele ajudou a fundar.


Do ato político participaram também representantes da CMS (Coordenação dos Movimentos Sociais), CGT, CGTB, PT, PCdoB, da Marcha Mundial de Mulheres e da comunidade árabe. Todos foram unânimes em reafirmar o compromisso da unidade das forças nacionais para a reeleição de Lula, possibilitando o avanço das mudanças e da transformação social já em curso no país.


Em nome do PCdoB, Nádia Campeão, candidata a vice-governadora na chapa de Aloísio Mercadante, saudou os novos dirigentes, lembrando da importância histórica deste momento onde se confrontam dois projetos: o de avanço e o de retrocesso. ‘Somos de uma geração que construiu todas estas conquistas que estamos presenciando. A democracia, os direitos sociais, onde a CUT simboliza muito da resistência. Mas a maior conquista foi termos eleito um trabalhador para a Presidência o companheiro Lula que, com a nossa luta, vai continuar lá para fazermos o país avançar cada vez mais’, destacou. Denunciou também ‘as pressões e manipulações da mídia e dos banqueiros para que o Brasil retroceda’.


Animação
Depois, a festa começou com integrantes da Escola de Samba Tom Maior, que no Carnaval do ano que vem levará para o sambódromo um enredo enfocando a luta da classe trabalhadora pela construção de um Brasil justo, soberano e igualitário. A animação continuou ao som de rítmos variados. A festa só terminou na madrugada desta quinta. 


CUT/SP parabeniza eletricitário 
Com uma nota assinada pela direção estadual, a CUT/SP encaminhou a seguinte mensagem à nova direção nacional:


‘A CUT/SP parabeniza o companheiro e presidente da CUT Nacional, Artur Henrique da Silva Santos, e toda a sua direção pela posse oficial, que acontecerá nesta quarta-feira, dia 2 de agosto.
A Central Estadual tem muito orgulho em ter à frente da maior Central Sindical da América Latina e a 5º maior do mundo o companheiro Artur Henrique, eletricitário, como presidente.


Ao longo da sua trajetória, Artur mostrou com ousadia que poucos dirigentes sindicais são capazes. Na direção do Sinergia-CUT foi o primeiro a acabar com o imposto sindical, que depois serviu de exemplo para outros sindicatos. Também incorporou rápido a tese da autonomia e liberdade sindical e exerceu um mandato brilhante à frente da Secretaria de Formação da CUT/SP e da Secretaria Nacional de Organização da CUT.


Desejamos ao presidente Artur e a toda sua Direção sucesso na nova gestão e êxito nas lutas em defesa dos interesses da classe trabalhadora brasileira.


Direção da CUT São Paulo’

  Categorias: