Omissões e inverdades da CPFL Energia

10 agosto 16:37 2006

Para a direção do Sinergia CUT, além da intransigência, a omissão vem sendo a marca registrada da CPFL Energia nesta Campanha Salarial 2006. Lamentavelmente, a empresa repetiu a dose no último folhetim eletrônico que fez circular entre os trabalhadores ao esconder informações e até a proposta oficial feita pelo TRT/SP (Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região).


Agora, com a divulgação de R$ 611,981 milhões de lucro líquido neste primeiro semestre, a CPFL não está dizendo a verdade nem mesmo nos documentos oficiais. Basta ler o balanço da holding que traz os Resultados deste 2° Trimestre (2T06), que aliás registra 30% de lucro a mais em relação ao mesmo período do ano passado, chegando aos R$ 305 milhões. A íntegra do documento está publicada no portal da holding (www.cpflenergia.com.br) através do atalho ‘Relações com Investidores’ que dá acesso a ‘Resultados 2T06’.
 
O que chamou a atenção da direção do Sindicato é que em Custos de Operação, a CPFL Energia destaca que gastou R$ 546 milhões – aumento de 17,5% ou R$ 81 milhões a mais que em 2005 – e aponta o PMSO (Pessoal, Material, Serviços e Outros) como um dos principais responsáveis por esse crescimento.


Escreve que ‘as principais variações em PMSO foram os gastos com pessoal que registraram aumento de 15,3% (R$12 milhões) no 2T06, essa variação deve-se principalmente ao aumento da folha de pagamento, decorrente do reajuste salarial ocorrido em junho de 2006…’. Como assim? Que reajuste? Com a palavra, a direção da CPFL…

  Categorias: