Todo apoio à greve dos metalúrgicos do ABC

31 agosto 17:53 2006

‘ A CUT/SP está indignada com a postura truculenta e autoritária da Volkswagen em São Bernardo do Campo que, na terça-feira, dia 29, anunciou demitir cerca de 1.800 trabalhadores da fábrica, cujo processo iniciaria em novembro.


Repudiamos, veementemente, essa postura que, além de ser um retrocesso, demostra um ataque aos direitos dos trabalhadores. Manifestamos nosso total apoio à greve dos metalúrgicos, aprovada em assembléia, que representa um movimento de resistência contra essa medida autoritária e anti-democrática.


A proposta de reestruturação da Volks esconde por atrás algo mais perverso. Seu real plano não é apenas demitir os trabalhadores, mas eliminar empregos nas demais fábricas sediadas em outros países e reduzir direitos fundamentais – que são conquistas históricas da classe trabalhadora.


A desculpa de que a ‘desvalorização do dólar’ a levou a tomar tal iniciativa não reflete a realidade. Dados da própria montadora revelam que o seu lucro líquido subiu para 158% somente no segundo trimestre deste ano– alcançando a cifra de 859 milhões. Pesquisa da Anfavea também mostra que o mercado automobilístico no Brasil bateu em maio recorde de produção: 245 mil carros -um do maiores da história.


Na verdade, a principal meta da Volks é fazer com que os trabalhadores do século 21 voltem a ter condições de trabalho do século 18. Uma visão vergonhosa que traduz a lógica neoliberal do capitalismo que prioriza apenas o ‘lucro’, e não tem interesse em reconhecer o direito do trabalhador em participar nas riquezas que gera.


Um eventual fechamento da fábrica na região do ABC acarretará um desastre social e econômico. Estudo do Dieese mostra que o fim das atividades eliminaria a circulação de mais de R$ 2,3 bilhões por ano só de salários. Considerando Fundo de Garantia, Previdência e outros direitos R$ 4,8 bilhões deixariam de circular na região. As demissões diretas somariam 12 mil e mais 94,6 mil na cadeia produtiva de todo o Estado.


Por essas razões, mais uma vez, nos solidarizamos com a luta dos companheiros metalúrgicos e orientamos todos os 330 sindicatos filiados em todo o Estado a enviarem faxes e e-mails de protesto e repúdio à Volks, assim como toda a sociedade civil organizada. Em hipótese alguma nós da CUT permitiremos que a empresa concretize qualquer ataque aos direitos dos trabalhadores.


A luta dos metalúrgicos é um causa nobre e de interesse de todos nós. Não podemos permitir que a Volks continue mantendo seus exorbitantes lucros às custas do suor do trabalhador brasileiro.’

  Categorias: