Volks suspende demissões e trabalhadores interrompem greve

04 setembro 18:42 2006

SÃO PAULO – Os trabalhadores da fábrica Anchieta da Volkswagen, em São Bernardo do Campo, decidiram interromper a greve por uma semana após a decisão, em uma reunião entre o Sindicato dos Metalúrgicos do Grande ABC e a montadora na manhã desta segunda-feira, da empresa de suspender as 1,8 mil demissões feitas por meio de carta enviada aos funcionários. A greve será suspensa até a próxima terça-feira, dia 12, quando os funcionários esperam receber uma nova proposta de negociação da empresa. Os trabalhadores decidiram também não fazer hora extra no feriado de 7 de setembro.


O presidente do sindicato, José Lopes Feijóo, disse que espera uma nova proposta da empresa e que rejeitará qualquer idéia semelhante ao que já foi anunciado anteriormente. ‘Não brinquem conosco. Nós somos bons de briga’, afirmou.


A Volkswagen do Brasil afirmou, em nota, que espera que uma solução para o impasse nas negociações com os empregados da fábrica Anchieta, no ABC paulista, seja encontrada até o fim da primeira quinzena de setembro, mas reiterou que as demissões anunciadas estão suspensas somente até que o processo de negociação seja encerrado e que cortar funcionários é uma medida necessária para garantir a continuidade das operações da fábrica Anchieta.


Reuniões entre a montadora e o sindicato devem ocorrer ao longo desta semana. ‘A Volkswagen reafirma a necessidade de adequação do seu quadro de pessoal em 3,6 mil pessoas nos próximos anos, porém está aberta para discutir as condições para sua realização’, disse em nota o gerente executivo de Relações Trabalhistas Corporativo da Volkswagen, Nilton Junior.


Feijóo reconheceu que, numa negociação, as duas partes fazem propostas novas e analisam as já existentes, mas argumentou que a empresa tem de mudar sua atitude. ‘A Volkswagen tem de se desarmar da postura que tomou desde o dia 3 de maio e estar propensa a encontrar saídas que não sejam aquelas que ela apresentou até agora’, considerou. Ele reiterou que não aceitará demissões ou corte de direitos. ‘Nós queremos trabalhar, queremos novos carros para produzir aqui. Esses trabalhadores são extremamente qualificados. Nós podemos conquistar espaços de mercado que a VW deixou de ocupar à medida que não apresentou modelos para esse segmentos.’


Em princípio, Feijóo descartou a possibilidade de aceitar um Plano de Demissões Voluntárias (PDV). ‘Nós vamos negociar. Não vamos levar nenhuma proposta a priori’, afirmou. ‘O que nós queremos é a solução para esse problema. De preferência, vamos tratar de preservar os empregos. É por isso que vamos trabalhar.’


O dirigente disse ter esperanças de que as negociações avancem. ‘Eu já cansei de ver situações muito difíceis para as quais acordos pareciam impossíveis’, lembrou, citando o próprio caso da Volkswagen, em 2001, quando mais de três mil demissões foram revertidas e um acordo de cinco anos de estabilidade, que termina em novembro deste ano, foi firmado. ‘Se atitude da empresa de reconvocar um processo de negociação for sincera, se não for um processo de teatralização, é bem-vinda e vamos apostar nela’, afirmou.


Tensão
Os trabalhadores da Volkswagen de São Bernardo do Campo decretaram greve por tempo indeterminado no dia 29 de agosto, quando a empresa iniciou o envio de 1.300 cartas a funcionários da ativa informando que eles serão demitidos a partir de 21 de novembro, quando termina o acordo trabalhista que dá direito à estabilidade. Outros 500 funcionários que estão afastados da produção desde 2003, e participam do Centro de Formação e Estudos também serão demitidos, num total de 1.800 cortes. Ao todo, a fábrica Anchieta emprega 12,4 mil trabalhadores.


A paralisação foi aprovada em assembléia que reuniu cerca de 10 mil trabalhadores.


A tensão na fábrica Anchieta começou depois que os funcionários não concordaram com o plano de reestruturação da montadora, que incluiria a demissão de 3,6 mil funcionários. A direção da Volks ameaçou fechar a fábrica caso os funcionários não aceitassem o plano. (Anne Warth)

  Categorias: