Consumo de energia cresce 2,6% em julho

15 setembro 18:19 2006

Índice sinaliza melhora na trajetória da demanda, segundo avaliação da EPE


O consumo de energia no país cresceu 2,6% em julho, em relação ao mesmo mês do ano passado. Segundo dados da Empresa de Pesquisa Energética divulgados nesta sexta-feira, 15 de setembro, o consumo cresceu 3,6% de janeiro e julho, em comparação com o mesmo período de 2005. Na avaliação da EPE, o índice sinaliza melhora na trajetória da demanda, diante do percentual de 1,7% apurado em junho deste ano.


O menor crescimento de mercado no primeiro semestre, ressalta a empresa, foi reflexo de fatores conjunturais, como Copa do Mundo e baixas temperaturas. Em junho, a elevação média no consumo foi de 1,7%, enquanto no acumulado janeiro-junho, o percentual havia fechado em 3,2%.


De acordo com a EPE, a classe residencial teve o maior crescimento de demanda, ao registrar aumento de 3,7%, em comparação com julho do ano passado. O aumento de cerca de 14% nas vendas de produtos eletrodomésticos e eletroeletrônicos, registrado este ano, foi observado pela EPE como um fator que pode impulsionar o consumo de energia. Do mesmo modo, outros setores (como a classe rural) teve elevação de 3,1%.


A indústria registrou elevação de 2,2%, em comparação com o mesmo mês no ano passado. A melhora no consumo industrial, ressalta a EPE, não reflete um quadro mais favorável na demanda deste setor, uma vez que verificou-se queda na produção de alguns produtos intermediários eletrointensivos, voltados para a exportação, em função da perda de competitividade ocorrida com a valorização do real.


A EPE observou ainda que o setor comercial apresentou crescimento menor em junho, devido à influência de baixas temperaturas, da ocorrência da Copa do Mundo e do menor número de dias úteis. A expansão do consumo na classe comercial ficou em apenas 1,7% sobre julho de 2005.

  Categorias: