MME mantém projeção de participação do gás natural na matriz elétrica no PDEE 2007-2016

21 setembro 18:26 2006

Primeira edição do Plano Decenal prevê que gás natural terá participação de 8% em 2015, contra os atuais 4%


O secretário de Planejamento e Desenvolvimento do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, disse nesta terça-feira, 19 de setembro, que a edição do Plano Decenal para Expansão de Energia Elétrica 2007-2016 manterá a projeção de participação do gás natural na matriz elétrica do país. A primeira versão do Plano Decenal, lançada em abril, previa uma participação de 8% na matriz elétrica em 2015. Para o próximo plano, ressaltou, podem ocorrer ajustes nos números, mas nada que implique em uma mudança de cenário.


Segundo Zimmermann, que participou do 8° Enercon, em São Paulo, em 2005, a participação do insumo na geração elétrica ficou em cerca de 4%, sendo 2% relativo ao gás boliviano e 2% oriuindo da produção nacional. Na matriz energética total, que considera outros usos, a participação do gás teve participação entre 8% e 9% em 2005. Esse crescimento, destacou ele, está baseado na ampliação da produção nacional de gás natural e na entrada do Gás Natural Liqüefeito no cenário. (Fábio Couto)

  Categorias: