Duke demite três trabalhadores

25 setembro 09:17 2006

‘Agimos com ética, dizemos a verdade, mantemos nossos compromissos, atuamos de acordo com os princípios legais…, valorizamos as diferenças pessoais e de opiniões, reconhecemos as contribuições individuais…, valorizamos a comunicação clara e aberta…’.


Assim diz ser a Duke Energy em seu Código de Ética nos Negócios. Porém, sem qualquer motivo que justificasse a sua ação demitiu, nesta sexta-feira (22), três trabalhadores da Usina de Chavantes. Um deles, Antônio Sérgio Freitas Oliveira (o ‘Garça’), já foi o representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da empresa. Os outros dois companheiros demitidos são Sinvaldo Barbosa Oliveira e José Paulo Braga Sampaio. A alegação da empresa aos dispensados foi simplesmente Reestruturação Organizacional.


Além de descumprir um documento próprio, assinado pelo presidente da empresa, a geradora também desrespeita e rasga  o Acordo Coletivo firmado com o Sindicato que prevê na cláusula de Gerenciamento de pessoal que ‘a Duke compromete-se a utilizar como efetivo mínimo o número de empregados constante no balanço patrimonial da empresa em cada exercício… não promovendo dispensas sem justa causa, exceto nos casos de reestruturação organizacional, descumprimento de obrigações contratuais, motivo funcional ou disciplinar, previamente comprovados…’.


O Sinergia CUT nem sequer foi comunicado pela empresa sobre as demissões. E, tão logo ficou sabendo, entrou em contato com o Recursos Humanos e, em conversa com Walter José Rodrigues Filho, responsável pela área de Relações Trabalhistas e Políticas Sindicais da Duke em Chavantes, ouviu a mesma ‘explicação’ dada aos três trabalhadores dispensados, de que as demissões fariam parte de uma reestruturação da empresa.


O Sindicato questiona: que reestruturação é essa? A quem a empresa comprovou a necessidade de realizar tal medida, conforme determina o ACT?


E mais: o quadro de trabalhadores da Duke, que consta em seu  relatório anual, é de 291 trabalhadores. Para demitir alguém, além de apresentar e comprovar os motivos, a empresa precisa evidenciar o número atualizado do seu quadro. Isso, ela também não fez.


Providências
O Sinergia CUT, que sempre prioriza a mesa de negociação, solicitará reunião com a Duke para tentar reverter as três demissões. Caso isso não seja possível, o Sindicato tomará todas as providências, inclusive jurídicas, para solucionar o caso.

  Categorias: