Sinergia CUT consegue a reintegração do piloto da CTEEP

20 outubro 14:08 2006

Tão logo foi privatizada, em 28 de junho passado, a Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP) demitiu os três pilotos e os dois mecânicos que travalhavam com o transporte aéreo da empresa.


As dispensas ocorreram em 18 de julho. A arbitrariedade só aconteceu porque o governo Alckmin, ao colocar a CTEEP para a venda, não retirou do patrimônio da empresa a aeronave e os trabalhadores de sua base aérea. Com isso, além da transmissora, foi obrigado a entregar para a estatal colombiana Interconexión Eléctrica (ISA) o avião que atendia ao governo estatal paulista. E de graça!


Tão logo soube das demissões, o Sinergia CUT entrou com ações na Justiça do Trabalho pedindo a reintegração dos cinco trabalhadores dispensados. Proibição de dispensa arbitrária às vésperas das eleições (conforme artigo 73 da Lei 9.504/97) e, violação da cláusula 23 do Acordo Coletivo (que trata sobre Gerenciamento de Pessoal), foram os argumentos.


Vitória na Justiça
Uma das ações foi julgada. O juiz do Trabalho substituto, Saint-Clair Lima e Silva julgou procedentes os pedidos para condenar a CTEEP a reintegrar o assistente técnico de vôo, Aelcio Sarti, e a pagar a ele todos ‘os salários da dispensa até o retorno, com repercurssões em férias, 13º salário e FGTS’.


O Sinergia CUT aguarda para a próxima semana o julgamento das outras quatro ações. Que venham as liminares para a reintegração dos companheiros!

  Categorias: