Trabalhador sofre acidente grave em usina da Duke Energy

24 outubro 18:22 2006

Foi durante a tarde do último domingo (22): o técnico senior de eletricidade da Duke Energy Marcos Antonio Xavier trabalhava na sala de comando da Usina de Chavantes. Por volta das três horas, um choque elétrico no painel CE 13,8 kV da sala de comando vitimou Marcos, que está com queimaduras graves e continua internado na Santa Casa de Marília.


As condições que provocaram o grave acidente ainda não foram  esclarecidas pela empresa, mas o Sinergia CUT apurou que outros trabalhadores ouviram um grande ‘estouro’ e que o trabalhador acidentado ‘estava pegando fogo’ quando foram em seu socorro. O fogo teria sido apagado com um extintor de incêndio, deixando o técnico acidentado com queimaduras graves nos braços e nas costas.


Em comunicado interno oficial, assinado pelas diretorias de Operação e de Meio Ambiente, Saúde e Segurança, a Duke Energy se limitou a informar que ‘Marcos recebeu os primeiros socorros na Santa Casa de Ourinhos e foi posteriormente transferido à Unidade de Tratamento de Queimados da Santa Casa de Marília’.


O documento circulou na última segunda-feira (22) e informava ainda que ‘de acordo com a equipe médica responsável pelo atendimento, o empregado encontra-se em situação estável’. Mais adiante, a direção da Duke aproveita ‘para reconhecer e valorizar a iniciativa dos colegas de trabalho de Marcos que, diante da situação, tomaram as melhores providências a fim de garantir que ele fosse prontamente atendido’.


Nenhuma explicação foi dada sobre as reais condições de trabalho do técnico. Para a direção do Sinergia CUT faltam informações indispensáveis à rigorosa apuração do acidente. Para começar, o documento da empresa informa que o técnico é que ‘envolveu-se em um acidente de trabalho’. Mas não explica se Marcos estava trabalhando sozinho na sala de comando, nem o que levou o painel de controle a ficar energizado a ponto de provocar um choque elétrico, muito menos porque outros trabalhadores é que tiveram que correr para prestar socorro ao colega acidentado.


É por tudo isso que o Sindicato vai acompanhar com rigor as investigações que já estão sendo feitas por uma equipe interna coordenada pela CIPA, além de prestar total apoio e se colocar à disposição do trabalhador acidentado para qualquer providência que julgue necessária.     

  Categorias: