Aposentados e pensionistas na Paulista

26 outubro 16:43 2006

Portando faixas e bandeiras das centrais sindicais CUT, Força, CGTB e CGT, aposentados e pensionistas ocuparam várias quadras de canteiros da avenida Paulista, próximos ao Masp, na manhã desta quarta-feira (25), em apoio à reeleição do presidente Lula, em defesa da Previdência pública e contra os privatistas.
 
De acordo com o coordenador do Sindicato Nacional dos Trabalhadores Aposentados e Pensionistas (Sintap) da CUT, Wilson Roberto Ribeiro, ‘nos últimos 4 anos, os sindicatos que representam o segmento ganharam força e representatividade, abrindo um canal de diálogo e negociação com o governo Lula, enquanto no desgoverno do PSDB, além de FHC nunca nos receber, ainda agredia os aposentados, nos chamando de vagabundos’.


‘O que esses milhares de companheiros que participaram da manifestação deixaram claro é que o momento é de ampliar conquistas, reelegendo o companheiro Lula para continuar avançando na construção de um país com mais justiça social’, declarou Epitácio Luiz Epaminondas (Luizão), da executiva do Sintap.


Para o vice-presidente da CGTB, Oswaldo Lourenço, ‘Lula está colhendo hoje os frutos de um governo popular, que começou um processo de valorização progressiva do salário mínimo e de fortalecimento da Previdência pública’. ‘A voz da experiência dos aposentados e pensionistas está unida, ecoando na Paulista, para dizer que não aceita o papo furado privatista, que condena o retrocesso neoliberal, e vai se mobilizar cada vez mais, para vencer nas urnas e derrotar a direita nas ruas. Porque é preciso ter claro que devemos continuar ativos para defender o nosso projeto de país, contra qualquer tentativa golpista dos tucanos e da sua mídia’, acrescentou.


O vice-presidente da Força Sindical, João Inocentini, destacou que o segmento não vacilou e esteve ao lado de Lula desde o primeiro momento. ‘Acreditamos no companheiro Lula, pois ele abriu o diálogo conosco e pela primeira vez os aposentados discutiram com o governo um aumento real em seus benefícios, além de inúmeras melhorias como a regulamentação do Estatuto do Idoso’, frisou.


Entre as principais bandeiras que se transformaram em conquistas, ressalta o manifesto assinado pelas lideranças do segmento, estão a antecipação do pagamento dos benefícios para até o quinto dia útil; a prorrogação do prazo para dar entrada nos processos de revisão da aposentadoria para 2009 e acordo com quem preferiu não entrar na Justiça – com isso, os aposentados receberam mais de R$ 10 bilhões; redução dos juros bancários; crédito consignado e o cartão de compras para os aposentados; pacote de benefícios que inclui desconto de 90% em medicamentos para hipertensão e diabetes; antecipação da primeira parcela do 13º para setembro e a constituição da Comissão Nacional de Valorização do Idoso.


‘Já estamos negociando com o governo melhorias como o fim do absurdo Fator Previdenciário, mecanismo tucano de arrocho aos benefícios; a manutenção do sistema de aposentadoria por tempo de serviço, sem exigência de idade mínima; a isenção de impostos em todos os medicamentos de uso contínuo e uma redução mais acentuada dos juros, elemento chave para o fortalecimento do mercado interno, com maior geração de emprego e renda’, finalizou Luizão.

  Categorias: