Horário de verão gera economia de R$ 50 mi e reduz consumo em até 5%

01 novembro 16:37 2006

Brasília – O horário de verão, que começa a partir da zero hora deste domingo (5 de novembro), vai gerar uma economia de aproximadamente R$ 50 milhões, segundo estimativa do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), apresentada ontem ao Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico.


Essa possível economia é equivalente à energia de usinas termelétricas que deixarão de ser acionadas durante o período em que a demanda no horário de pico deverá ser reduzida.


Os relógios deverão ser adiantados em uma hora nos Estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, medida que valerá até o dia 25 de fevereiro de 2007.


A expectativa do ONS é a de que a medida contribua para reduzir o consumo de energia entre 4% e 5% no horário de pico, ou o equivalente a 2 mil MW.


O objetivo do horário de verão é dar maior segurança e confiabilidade ao sistema elétrico interligado, evitando investimentos desnecessários em geração.


Na região Sudeste e Centro-Oeste, a previsão é uma redução no consumo de 1560 MW, o que equivale a duas vezes ao consumo máximo de Brasília. Já na região Sul, a economia estimada é de 530 MW, o que equivale à 80% da carga no horário de pico de Porto Alegre (RS). (Pratícia Zimmermann)

  Categorias: