Dia de luto, luta e resistência

10 novembro 12:11 2006

É pela disputa dessa memória, dessa história, que nos últimos 32 anos se comemora no dia 20 de novembro, o ‘Dia Nacional da Consciência Negra’. Nessa data, em 1695, foi assassinado Zumbi, um dos últimos líderes do Quilombo dos Palmares, que se transformou em um grande ícone da resistência negra ao escravismo e da luta pela liberdade.


Em várias sociedades escravistas nas Américas (Venezuela, Colômbia e Estados Unidos, por exemplo) existiram fugas de escravos e formação de comunidades como os quilombos. Palmares durou cerca de 140 anos: as primeiras evidências de Palmares são de 1585 e há informações de escravos fugidos na Serra da Barriga até 1740, ou seja bem depois do assassinato de Zumbi. Embora tenham existido tentativas de tratados de paz, os acordos fracassaram e prevaleceu o furor destruidor do poder colonial contra Palmares.


O Dia
Há 32 anos, o poeta gaúcho Oliveira Silveira sugeria ao seu grupo que o 20 de novembro fosse comemorado como o ‘Dia Nacional da Consciência Negra’, pois era mais significativo para a comunidade negra brasileira do que o 13 de maio (Dia da Abolição da Escravatura).


‘Treze de maio traição, liberdade sem asas e fome sem pão’, assim definia Silveira o ‘Dia da Abolição da Escravatura’ em um de seus poemas. Em 1971 o 20 de novembro foi celebrado pela primeira vez. A idéia se espalhou por outros movimentos sociais de luta contra a discriminação racial e, no final dos anos 1970, já aparecia como proposta nacional do Movimento Negro Unificado.


Para a socióloga Antonia Garcia, doutoranda do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, ‘é importante que se conquiste o Dia Nacional da Consciência Negra como o dia nacional de todos os brasileiros e brasileiras que lutam por uma sociedade de fato democrática, igualitária, unindo toda a classe trabalhadora num projeto de nação que contemple a diversidade engendrada no nosso processo histórico’.


Programação do Mês da Consciência Negra
A diversidade de formas de celebração do 20 de novembro permite ter uma dimensão de como essa data tem propiciado congregar os mais diferentes grupos sociais.


As atividades vão desde missas, palestras e debates até marcha, manifestações culturais, coquetéis, churrascos e pagodes. A atividade que deverá reunir diversos movimentos e entidades que atuam no combate ao racismo é a Marcha e Ato Político que ocorre no próprio dia 20. Essa atividade conta com o apoio da CUT e é de responsabilidade do CONEN (Coordenação Nacional de Entidades Negras). A Marcha da Consciência Negra iniciará às 15h com concentração em frente ao vão do MASP (av. Paulista, SP), seguida de caminhada até a Assembléia Legislativa, onde será realizado o Ato Político.


A cidade de Campinas, onde o 20 de Novembro é feriado municipal, várias atividades ocorrerção durante todo o mês, iniciando em 09/11 e terminando em 09/12. Algumas das programações são:


18/11 (Sábado)
– Ato Político e atividades culturais
Das 8h às 12h, no Largo da Catedral, em Campinas (R.13 de Maio, Centro)


– Workshop (dança afro, capoeira, samba-rock…)
Durante todo o dia, na Comunidade da Vila União


19/11 (Domingo)
– Churrasco e Pagode
Às 16h, na Comunidade da Vila União


20/11 (Feriado Municipal em Campinas)
Dia inteiro de atividades culturais no Clube de Campo do Sindicato dos Metalúrgicos
 
-9h: Momento orante, na Igreja São Benedito
-20h: Missa afro, na Vila União
-20h: entrega do diploma de Mérito Zumbi dos Palmares, na Estação Cultura

  Categorias: