ICV de 2006 fica em 2,57%, o menor desde 1998

18 janeiro 11:44 2007

A inflação entre janeiro e dezembro de 2006, no município de São Paulo, registrou uma variação acumulada de 2,57%, segundo o Índice do Custo de Vida, calculado pelo DIEESE. A taxa é a menor verificada pelo Departamento desde 1998, quando o ICV ficou em 0,49%. Em 2005, o acumulado totalizou 4,55%.


A elevação do custo de vida, em 2006, foi mais significativa para as famílias de maior poder aquisitivo, incluídas no estrato 3 (renda média de R$ 2.792,90*) para as quais, a taxa acumulada chegou a 2,70%, e para as famílias mais pobres, pertencentes ao estrato 1 (renda média de R$ 377,49*), caso em que a variação anual foi de 2,62%. A menor taxa ocorreu para o estrato 2, que reúne famílias com nível intermediário de rendimento (renda média de R$ 934,17*), para as quais a variação ficou em 2,26%.


Alta de 0,65%, em dezembro


Em dezembro, ICV-DIEESE para o município de São Paulo apresentou variação de 0,65%, uma taxa 0,32 ponto percentual superior a de novembro (0,33%). A principal pressão sobre a taxa do mês partiu do grupo Transporte – com aumento de 3,05% em conseqüência da elevação dos transportes coletivos – e das Despesas Pessoais (2,26%), que juntos contribuíram com 0,59 ponto percentual no resultado da taxa de dezembro.


No mês, o estrato 1 foi o que registrou a taxa mais elevada, de 1,01%, por conta do aumento dos transportes coletivos e dos cigarros, que têm peso relativamente maior para as famílias de menor poder aquisitivo. Para o estrato 2, a taxa foi de 0,88%, enquanto para o estrato 3 a variação ficou em 0,46%.


* Os níveis de rendimento referem-se aos valores definidos para junho de 1996, quando da implantação da atual ponderação

  Categorias: