Cúpula do Mercosul: CUT quer participação dos trabalhadores nas decisões do bloco

22 janeiro 09:37 2007

Em discurso proferido na sexta-feira (19), durante a abertura do segundo dia da Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul, o presidente nacional da CUT Artur Henrique defendeu que a valorização dos trabalhadores e de seus direitos devem ocupar posição central na elaboração das estratégias do bloco. ‘O Mercosul deve ir para além do comércio e incluir a dimensão social, cultural e o livre trânsito dos trabalhadores e trabalhadoras de nosso continente e de suas idéias e ideais’, afirmou Artur. ‘É preciso abrir espaço para os movimentos sociais participarem das decisões’.


Esta é a primeira vez que os movimentos sindical e social participam da Cúpula de Chefes de Estado do bloco. O presidente da CUT foi indicado pelas demais entidades a representá-las no encontro. Ao final do discurso, acompanhado pelos 11 presidentes do bloco e ministros de diversas pastas, Artur entregou aos representantes nacionais documento elaborado pelos movimentos .


‘Nossa participação, a primeira do movimento sindical desde o início do Mercosul, é um marco significativo que sinaliza as mudanças políticas em curso no continente. As experiências brasileiras e de nossos vizinhos estão deixando para trás um ciclo de neoliberalismo e de submissão total aos interesses do Hemisfério Norte’, disse Artur, em entrevista ao PMT. ‘Mas, como disse, é um marco. Para torná-lo algo mais que simbólico e transformá-lo no início de uma intervenção efetiva do movimento sindical na elaboração das políticas do bloco, é preciso aproveitar nossa aproximação com as centrais do continente e construir nosso espaço de influência no bloco’, completou.


A participação dos movimentos sociais ocorre durante o período em que o Brasil ocupa a presidência rotativa do Mercosul, e é resultado de reivindicação apresentada durante a Cúpula Social, realizada no final do ano passado. (Isaías Dalle)

  Categorias: