Caged: 4,6 milhões de empregos gerados no primeiro mandato de Lula

07 fevereiro 17:57 2007

Durante o primeiro mandato do governo Lula (2003/2006) foram criados 4,6 milhões de empregos formais, isto é, com carteira assinada. Apenas em 2006 o país gerou 1.228.686 novos postos de trabalho, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), órgão ligado ao Ministério do Trabalho e Emprego.


Segundo dados do Caged divulgados nesta terça-feira, o crescimento do emprego atingiu todos os setores da economia, principalmente da indústria de transformação. Segundo o ministro Luiz Marinho ‘todos os estados tiveram ampliação no emprego em 2006. O resultado ficou próximo de 2005, conforme havíamos previsto. A construção civil, por exemplo, teve uma expansão recorde e a tendência com as medidas que tomamos é de continuidade dessa alta nos níveis de emprego do setor’. O resultado é um pouco inferior ao de 2005, quando foram gerados 1.253.981 empregos formais.


Leia, a seguir, algumas das conclusões da pesquisa Caged:


Por região – O Sudeste teve o melhor desempenho na geração de empregos, com destaque para o estado de São Paulo (+ 472.627); a região registrou, em 2006, a criação de 773.048 postos de trabalho, seguida pela região Sul (+199.817); Nordeste (+ 166.866); o Centro-Oeste criou 45.073 empregos, enquanto a região Norte abriu 43.882 vagas.


O balanço anual do Caged mostrou ainda que foram criados 564.123 empregos celetistas nas nove principais regiões metropolitanas (BA, CE, MG, PA, PE, PR, RJ, RS e SP) e que no interior desses estados o aumento foi de 433.791 postos de trabalho.


Por setor – Apesar de o total de empregos gerados ter sido menor do que o de 2005, alguns setores avançaram, como a agropecuária, que registrou a abertura de 6.574 com carteira; e, 2005 o setor havia fechado 12.878 postos de trabalho. O mesmo ocorreu com a indústria moveleira, que gerou 1.884 postos de trabalho no ano passado, enquanto em 2005 havia cortado 20.484 vagas.


O setor serviços criou 521.609 empregos, seguido do comércio (+336.794 postos) e da indústria de transformação (+ 250.239). O ramo de alimentos e bebidas gerou 97.012 empregos.


Fatores sazonais – Os resultados de dezembro de 2006 divulgados pelo MTE indicam que o país gerou menos 317.493 empregos com carteira assinada do que em relação a novembro. Segundo o ministro Luiz Marinho, isso se deve a fatores sazonais, como entressafra, fim do ciclo escolar e retração da demanda industrial.


A pesquisa completa do pode ser acessada pelo endereço http://estatistica.caged.gov.br.

  Categorias: